Adiar o pagamento das contas na crise é uma boa saída?

Escrito por:

O cenário atual trouxe a tona diversas incertezas e entre estas, a financeira. E, como uma das consequências imediatas, muitas pessoas estão pensando no que fazer para não ficar endividadas.

 

Como alternativas, algumas empresas, financeiras e instituições financeiras têm oferecido aos seus clientes a possibilidade de adiar o pagamento das contas ou até mesmo de renegociar as dívidas. E essas, podem ser sim boas saídas, desde que tomados alguns cuidados para que uma ação no curto prazo, não prejudique os planos futuros.

 

Confira algumas dicas para passar por essa situação, sem precisar passar por outros apertos financeiros.

 

Cuidados ao adiar o pagamento das contas

 

Decisões financeiras erradas também podem levar ao endividamento rapidamente. Por isso, independente do motivo ou da situação, é necessário agir com cautela, para não sacrificar outros planos. Algo que muitas vezes nem é cogitado em momentos similares, é quitar a dívida antecipadamente, por exemplo. Essa também pode ser uma boa chance de reduzir as dívidas e de ter acesso a crédito quando precisar.

 

Então, se você está pensando em renegociar as suas dívidas se atente a essas recomendações, antes de tomar qualquer decisão por impulso:

 

Renegocie com o credor

 

Primeiro ponto: se precisar adiar o pagamento das contas, a dica mais importante (e talvez a mais básica), é tentar negociar diretamente com o credor. Aluguel, dívidas no cartão de crédito, empréstimos.

 

Entre em contato com todos os credores para avaliar se existe essa opção e quais são as condições oferecidas. Ao fazer um novo acordo, formalize prazos, formas de pagamento e outros possíveis valores cobrados.

 

Embora muitas vezes as tratativas sejam discutidas de maneira mais informal, é essencial registrar toda e qualquer negociação – especialmente quando essas envolvem pagamentos. Assim, certamente você não correrá o risco de ter o nome sujo ou negativado, por engano, por exemplo.

 

Priorize as contas mais caras

 

Alguns tipos de dívidas ou contratos apresentam cláusulas específicas sobre multas, encargos e outros possíveis ônus no caso de atrasos ou até mesmo inadimplência. Por isso, é preciso identificar dentre as despesas quais são as que têm custos mais significativos no orçamento e quais são mais caras, no fim das contas.

 

Na prática, a avaliação é bem mais simples do que parece. Basta listar todas as despesas com seus valores originais e valores dos custos adicionais em caso de atraso ou inadimplência. Depois, é preciso classificá-las começando pelas que têm maior impacto financeiro, ou seja, que pesam mais no bolso.

 

Já que o objetivo é justamente evitar que as dívidas aumentem, uma boa dica é começar pelo cartão de crédito que tem altas taxas de juros e por outras contas em que os juros são compostos.

 

Reserve o valor dos pagamentos

 

Essa recomendação até parece contraditória, afinal, se uma dívida é renegociada é porque o dinheiro que seria gasto com o seu pagamento precisa ser utilizado em outra situação, correto? Pode até ser. No entanto, é preciso lembrar que mesmo quem optou por adiar o pagamento das contas, terá que pagá-la após o prazo combinado.

 

A prorrogação ou a chamada carência do pagamento concede ao devedor um prazo a mais. Isso não quer dizer que a dívida não deve ser paga ou que foi “perdoada”. Mas sim que, em comum acordo e, dentro das condições estabelecidas, credor e devedor aceitaram quitar o débito em data futura.

 

Evite fazer novas dívidas

 

Como o objetivo é manter as contas em dias, vale pensar muito bem antes de fazer qualquer nova dívida. Compras parceladas no cartão de crédito ou crediário ou compras de itens não essenciais também devem, se possível, ser postergadas. Se tiver realmente que comprar algo, pesquise antes e procure o melhor custo-benefício.

 

Ao buscar por um empréstimo, compare as modalidades disponíveis e opte pela que trará menor economia. Nem sempre o crédito mais acessível ou pré-aprovado é o mais barato, efetivamente. Por isso, é preciso ficar atento, para não criar uma nova dívida sem necessidade ou para evitar perder dinheiro.

 

Acredite: adiar o pagamento das contas, dentro de um planejamento financeiro mínimo e buscar soluções financeiras mais inteligentes pode ajudar a passar por momentos difíceis, sem abrir mão do que você ainda pode conquistar no futuro.

 

Por Danielle Vieira | Apaixonada por marketing, descobriu os números e finanças ao longo do caminho e, decidiu ajudar as pessoas através da educação financeira. Hoje faz isso atuando no marketing da bxblue, fintech acelerada pela Y Combinator e escrevendo em alguns portais.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

O que fazer para sair do endividamento?
Por Equipe Organizze
Cuidados com as dívidas de longo prazo
Por Equipe Organizze
Como priorizar as dívidas? Saiba o que fazer para evitar que a dívida aumente
Por Equipe Organizze
4 dicas para você limpar hoje mesmo o seu nome e sair da inadimplência
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).