Animal de estimação: o que considerar antes de adotar?

Escrito por: - Publicado em: 16/12/2021

Adotar um animal de estimação, é uma iniciativa de muito amor e de muita responsabilidade. Afinal, os animais necessitam de muitos cuidados, muito amor e carinho, mas também requerem alguns investimentos.

 

Os pets, além do que foi abordado acima, precisam também de espaço, brinquedos, atenção, assistência veterinária, adestramento, alimentação e disciplina.

 

O que preciso considerar ao adotar um animal de estimação?

Como dito, é um ato de muita responsabilidade. Os cachorros por exemplo vivem entre 10 a 15 anos, e necessitarão de cuidados ao longo de toda sua vida. 

 

Veja o que considerar ao adotar um pet:

 

1. Converse com a família

 

Ao adotar um animalzinho de estimação, é importante conversar com todos os moradores da casa para ver se estão de acordo com a adoção. Além disso, considerar se caso alguém tenha alergia e se todos se comprometem a cuidar e zelar pela saúde e bem-estar do animal.

 

2. Avalie as finanças

 

Se prepare financeiramente, porque a adoção terá seus custos mensais. Ao adotar um animal de estimação é preciso considerar as despesas com alimentação, produtos de higiene, brinquedos, acessórios e veterinário. 

 

Além disso, outros gastos envolvem uma castração e manter as vacinas em dia.

 

3. Conte com um plano de saúde para pets

 

Existem por aí muitas clínicas e operadoras que oferecem plano de saúde para pets, com pagamentos mensais e planos sem carência. Elas costumam oferecer atendimento 24H, exames, cirurgias, internação, castração e vacina, sem limite de idade e também especialidades. 

 

Cada plano e empresa oferecem coberturas diferenciadas, atendendo as necessidades de forma personalizada. Com o convênio médico para cachorro, gato e outras espécies, é possível oferecer maior qualidade de vida ao animal, realizando exames de rotina, garantindo a prevenção de doenças ou problemas de saúde mais graves.

 

4. Analise seu tempo e paciência

 

Ao considerar a adoção, é preciso estar ciente de que terá uma nova rotina, já que o animal necessitará de carinho e atenção. Além disso, ele não poderá ficar sozinho o tempo todo, pois os animais possuem sentimentos e quando muito sozinhos podem se sentir abandonados e até apresentar quadros de depressão.

 

Muitas pessoas não sabem, mas os animais também podem ficar depressivos. Então, sim, é preciso dedicar tempo com eles, muito amor e muitas brincadeiras.

 

Paciência, pois seu animalzinho levará um tempinho para se adaptar ao seu novo lar e sua nova rotina. Ele precisará de um espaço ao qual seja preparado para ele fazer suas necessidades, se possível adestrá-lo para que sempre faça suas necessidades neste local.

 

5. Considere o espaço da casa

 

Como existem várias raças e portes diferentes, é necessário analisar o espaço disponível em casa para poder ver melhor qual porte seria possível adotar. O ambiente é importante, já que ajuda o animal a ter melhor qualidade de vida e melhor estadia.

 

Por exemplo, um animal de porte grande necessita de mais espaço, como uma casa com quintal grande, para não se sentir confinado. Além disso, poderá se movimentar e brincar mais.

 

Já um animalzinho de porte pequeno não necessita de tanto espaço, como um animal de grande porte. Por isso é necessário analisar o espaço adequado para o tamanho do animal de estimação.

 

6. Calcule os custos médios mensais

 

O custo mensal pode variar por diversos motivos, mas trouxemos uma média de gastos que você pode ter ao adotar um cachorro, de acordo com o seu porte:

 

→ Cachorro de pequeno porte, até 10Kg, pode ter um custo médio mensal de R$ 220,00;

→ Cachorros de médio porte, de 11Kg a 25Kg, pode ter um custo mensal de R$ 280,00, em média;

→ Um cachorro de grande porte, 26Kg até 45Kg, pode ter um custo médio mensal de R$ 412,00.

 

O valor pode variar, já que as despesas também variam conforme o mês. Por exemplo, em um determinado mês você poderá ter que investir em: antipulgas, vermifugos, dose de vacinas, veterinário, banho e tosa, entre outros.

 

Mas, é importante lembrar que nem tudo isso terá de ser comprado ou aplicado todo mês, pois será de tempos em tempos.

 

7. Escolha entre filhote ou adulto

 

Os filhotes precisam de mais dedicação e paciência, são mais agitados e hiperativos, pois tem um alto nível de energia. Além disso, é primordial promover ao filhote uma boa sociabilização, pois é assim que irá determinar o temperamento do animal.

 

Um cachorro adulto, já tem sua personalidade formada. Então, antes da adoção é interessante conhecer o porte e temperamento do animal.

 

Considere conhecer e observar o nível de energia, se é mais calmo ou mais agitado, doenças que ele esteja predisposto a apresentar e outras questões.

 

Embora envolvam diversos gastos, também oferecem muitos benefícios aos humanos. Entre eles: são excelentes companhias, ajudam em momentos de tristeza e a detectar doenças, reduz o estresse e o risco de alergias em crianças, além de outros.

 

Então, preparado para fazer uma adoção responsável? Lembre-se de que o animal de estimação fará parte da sua família.

 

Por: Andreia Silveira, editora no site PlanoDeSaude.net.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

O que é e como fazer uma faxina financeira no início do ano?
Por Equipe Organizze
5 ideias práticas para melhorar sua vida financeira em 2022
Por Meu Patrimônio
Como organizar suas finanças para o Natal e se preparar para o próximo ano?
Por Equipe Organizze
Como usar o 13º salário para sair das dívidas?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).