Aprenda a fugir das dívidas de financiamentos

Escrito por:

Você comprou o carro zero, a casa própria ou qualquer outro sonho de consumo em suaves e longas prestações. Tudo parecia bem, até você não conseguir mais arcar com as parcelas do financiamento.

 

Os especialistas alegam que essa situação é muito comum e os motivos mais recorrentes para deixar de pagar os financiamentos são a perda do emprego e as compras por impulso.

Ainda assim, nem tudo está perdido. Saiba o que fazer para regularizar a vida financeira, pagar as dívidas e não perder o bem adquirido. Fique ligado nas dicas para não deixar que o sonho de consumo vire pesadelo.

 

De olho no Código do Consumidor

Mesmo sendo inadimplente, o devedor permanece tendo direitos legais. Por isso, é importante ficar atento às práticas abusivas. Receber ameaças, ter o nome exposto ou ser obrigado a pagar juros incompatíveis são ações ilegais e você deve tomar as medidas cabíveis.

 

O Código de Defesa do Consumidor estabelece que a inadimplência pode acarretar multa de no máximo 2% sobre o valor da dívida e as taxas de juros não devem ultrapassar 1% ao mês, ou seja, penalidades superiores a essas são indevidas e não estão previstas na lei. Em caso de dúvidas, procure o Procon da sua região.

 

Não espere a dívida virar uma bola de neve

Um dos grandes erros é esperar o débito aumentar para só então pedir ajuda. Assim que notar o descontrole financeiro, é importante procurar o credor e expor as suas reais condições. Caso você perca o emprego, uma boa alternativa é usar o acerto e solicitar um desconto para pagar as parcelas restantes à vista. Mas não utilize todo o montante, já que você deverá se manter até conseguir um novo emprego.

 

Esse processo deve ser feito presencialmente, pois frente a frente com o credor a negociação é mais segura e eficaz para ambas as partes. Agende uma reunião com quem tem autonomia para resolver o problema e evite negociar por e-mail ou telefone.

 

Não dê um passo muito maior que a perna

Por mais que seja grande o seu desejo de pagar a dívida, é preciso ser realista! Não adianta fazer um acordo que você não possa cumprir. Por isso, em muitos casos é melhor optar por um novo parcelamento, em mais vezes e com mensalidades reduzidas, do que negociar parcelas muito altas e que não caibam no orçamento.

 

Não comprometa mais do que 35% da sua renda, afinal, você tem gastos essenciais que não podem ser desconsiderados, como por exemplo alimentação, aluguel, contas de água, gás e luz.

 

Aproveite os mutirões do SPC e Serasa

Instituições como SPC e Serasa promovem constantemente campanhas e mutirões de renegociação de dívidas. As empresas credoras fazem boas parcerias com esses órgãos, que por sua vez, acabam oferecendo descontos bem expressivos aos consumidores inadimplentes. Os descontos são de até 50% e as melhores vantagens costumam partir das administradoras de cartão, bancos e concessionárias.

 

Para as empresas é uma estratégia excelente, pois elas conseguem negociar coletivamente e ganham no volume das dívidas liquidadas. O devedor também sai no lucro, porque além de ter o seu nome limpo, na maioria das vezes ele consegue se livrar das altas taxas de juros.

 

Fuja de novas dívidas

Após negociar a dívida, evite fazer novos financiamentos até quitar totalmente o compromisso assumido na negociação. Não respire aliviado até a sua vida financeira entrar nos eixos, entendido?

 

Se o dinheiro estiver sobrando, em vez de se endividar com novos gastos, que tal fazer uma reserva e ser o seu próprio credor nos casos de emergência? Assim você foge dos juros e diminui os riscos de ficar no sufoco de novo.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Além da Netflix: serviços para curtir séries e filmes que cabem no seu bolso
Por Equipe Organizze
7 truques de organização financeira para quem quer morar sozinha
Por Equipe Organizze
Redução de custos: saiba o que cortar das suas despesas pessoais
Por Equipe Organizze
Saia do Cheque Especial em 3 passos
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Organizze
Experimente o poder de ter suas finanças sempre em ordem

Cadastre-se GRÁTIS no Organizze, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).