Como começar a investir em ações?

Escrito por:

Já pensou em investir em ações da bolsa de valores? Se você tem acumulado um dinheiro extra nos últimos tempos e quer ter uma melhor rentabilidade, esta pode ser uma boa opção. Não se esqueça, no entanto, de que é preciso se informar bem a fim de não sair no prejuízo.


Definir o tipo de investimento, acompanhar as oscilações do mercado e estabelecer a quantia investida, por exemplo, são algumas atitudes importantes para uma estratégia bem-sucedida.

Com isso em mente, selecionamos dicas valiosas para te ajudar no processo. Confira os passos para começar a investir em ações!

 

1. Entre em contato com uma corretora

O ideal – conhecendo ou não um pouco sobre o mercado da bolsa de valores – é que você entre em contato com uma corretora. É claro, sempre existe a opção de investir em ações sem o auxílio de uma instituição. É aconselhável que esta alternativa, no entanto, seja considerada por aqueles que já possuem uma boa dose de conhecimento sobre economia e experiência na área. Para investidores de primeira viagem, que não dominam o mercado de ações e possuem pouco discernimento sobre a temática, o mais recomendado é buscar orientação, evitando assim possíveis prejuízos.

No caso da opção pelas corretoras, por exemplo, profissionais especializados irão te encaminhar uma ficha de cadastro para obter todas as informações necessárias sobre você e os objetivos que pretende atingir com a ação, te auxiliando a conduzir melhor o processo.

As opções de corretora

Procure por uma empresa com bastante experiência e boas referências no mercado. Tire todas as suas dúvidas em relação aos serviços oferecidos e a cobrança de taxas como a de corretagem (cobrada pelo acesso ao mercado) e de custódia (valor mensal cobrado pela guarda das ações).

Não feche com a primeira corretora que encontrar. Antes, é necessário fazer uma pesquisa e comparar os preços, benefícios e o perfil de cada uma delas. Seja prudente!

Documentos necessários

Depois de definir a corretora, é hora de abrir a sua conta.  Além de preencher o cadastro e assinar o termo de adesão, você terá que ter em mãos documentos como CPF, RG e comprovante de residência. Neste momento, é importante planejar-se para evitar dor de cabeça.

Veja este artigo interessante sobre: Dicas para iniciantes investirem na Bolsa de Valores.

2. Coloque seus objetivos em prática

Fechado o contrato, chega o momento de colocar os seus objetivos em prática.  Nesta etapa, você já precisa ter definido o quanto de dinheiro tem disponível e o prazo para que ele renda. Este é um investimento de renda variável, portanto tenha em mente que você pode acabar perdendo uma parcela do que investiu.

 

Este segundo passo é uma das fases mais importantes de todo o processo. Nele, você definirá que tipo de investimento irá fazer. Acompanhe as opções:

 

Compra direta de ações

Nesta alternativa, você incumbe a corretora de comprar ações de uma empresa, tornando-se sócio dela.

 

Fundos de índices – ETFs

Nesta opção, seu investimento inicial em ações pode ser pequeno. Os ETFs são fundos que obtêm o retorno de índices, representando os desempenhos de alguns setores de mercado. Aqui, você compra cotas na Bolsa, e pode vendê-las como se fossem ações.

 

Fundo de Investimento em Ações

Neste caso, o que você compra são cotas de um fundo de ações, administrado por um banco ou uma corretora. É uma maneira confortável de investir, porque o cliente fica isento de fazer negociações.

 

Clube de Investimento

Para quem não se sente tão seguro para encaminhar o processo sozinho, os clubes de investimento são uma boa opção. Trata-se de grupos que se unem para investir, dividindo lucros e prejuízos.

Veja este artigo interessante sobre: A poupança como forma de investimento.

3. Acompanhamento e ajustes finais

Assim que definir como e onde irá investir, é só repassar o recurso que você separou para efetivar a transação. Como você ainda está começando, o ideal é não apostar tão alto.

Acompanhe os investimentos

Ainda que você confie em quem está gerindo seu dinheiro ou não tenha muito tempo disponível na sua rotina agitada de trabalho, não basta investir – é necessário acompanhar suas aplicações. Mantenha um contato frequente com a sua corretora para verificar o andamento do investimento, mas lembre-se também de acompanhar por fora o desempenho das ações nas quais investiu.

 

A primeira dica para fazer um bom acompanhamento é estabelecer um parâmetro. Só conhecendo suas metas é possível avaliar se a situação dos seus investimentos é positiva ou negativa. “Estar antenado” também é crucial: acompanhe a notícias sobre negócios e economia, investigando possíveis riscos para seus investimentos. A busca por informação na área também te auxiliará a identificar novas oportunidades para investir.

 

Para saber interpretar as informações, no entanto, é necessário certo conhecimento. Quando se investe na bolsa de valores, por exemplo, a pesquisa ao Ibovespa (índice das ações mais líquidas da bolsa) é indispensável. No índice, o investidor deve procurar pelo resultado mais próximo possível ao dele. Acompanhar a Selic (a taxa básica da economia) também é importante para investimentos de renda fixa. No caso do fundo de ações, é preciso avaliar se o investimento está rendendo acima do nível do Ibovespa.

 

Cabe ainda uma ressalva a este acompanhamento: como a bolsa é extremamente volátil e se altera diariamente, a dica é realizar um acompanhamento mensal, e não diário, dos investimentos. É interessante ficar de olho nas notícias de economia, mas é importante não se deixar afetar pelas oscilações diárias da bolsa no caso do investidor de longo prazo.

 

Cuidado com os impulsos

No mercado da bolsa de valores, paciência e disciplina são ingredientes fundamentais. Pensar em curto prazo e agir conforme as tendências do momento podem ser sinônimo de prejuízo.

 

Mantenha-se informado e estudando sobre o mercado e as estratégias das empresas em geral (não só naquelas que investiu). A cautela e a observação devem ser constantes!

 

Agora que você conhece o passo a passo para investir em ações, comece a planejar quando e quanto poderá aplicar, agindo sempre com muita prudência e organização. Cumprindo todas estas etapas, ficará mais fácil obter sucesso através do investimento, evitando ainda os riscos de prejuízo!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Por que é importante registrar os gastos?
Por Equipe Organizze
6 coisas que podem sabotar a renda familiar e como evitá-las
Por Equipe Organizze
6 dicas para alcançar as metas durante a quarentena
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Importância da saúde financeira para médicos
Por Alphamar Investimentos
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).