Como fazer a portabilidade de crédito?

Escrito por: - Publicado em: 08/04/2021

Por Danielle Vieira

 

Em tempos onde economizar dinheiro e/ou fazê-lo render mais pode fazer toda diferença, uma alternativa para ajudar nesta missão pode ser fazer a portabilidade de crédito.

 

Prática comum nos serviços de telefonia e agora utilizada também no meio financeiro, essa opção permite migrar a dívida de banco. Veja como reduzir o valor da sua dívida atual, ao levá-la para outra instituição financeira.

 

Portabilidade de crédito

 

A portabilidade de crédito financeira é uma operação onde a dívida de uma instituição é portada, ou seja, transferida para outra. A vantagem da alteração está associada não só com a melhoria do atendimento, mas sim com condições financeiras mais vantajosas.

 

Assim, quem tem uma dívida mais cara pode trocá-la por uma mais barata, sem necessariamente renegociar, fazer um novo empréstimo ou prolongar o prazo de pagamento.

 

Que tipos de operações podem ser migradas?

 

Veja as operações mais comuns neste tipo de operação:

 

Conta-salário

 

Quem tem conta-salário, ou seja, recebe em uma conta específica de um banco pode migrar para outro, muitas vezes sem ter que pagar nada.

 

Geralmente, o crédito mensal referente ao salário é feito na conta-salário, mas o colaborador pode solicitar a migração para outra instituição em que tenha conta-corrente e outros serviços bancários ou financeiros como cartão de crédito, débito, entre outros.

 

Nesta situação, é preciso avaliar as condições do convênio da empresa empregadora com o banco contratado para a finalidade de recebimento da folha de pagamento dos funcionários.

 

Empréstimo Consignado

 

A modalidade de empréstimo pessoal destinada a Aposentados e Pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Servidores Públicos e Trabalhadores de empresas privadas também pode ser portada.

 

Para fazer a portabilidade de crédito desta dívida é necessário, no entanto, observar as condições previstas em contrato. Em média é preciso ter de 30% a 35% das parcelas quitadas, mas isso pode variar em função da política de crédito da instituição.

 

Isso ocorre, porque o empréstimo consignado é averbado a favor de um consignatário, a partir da averbação do contrato. Logo, com a mudança, é preciso retirar a consignação e incluir a nova instituição.

 

Para o tomador do crédito, o pagamento das parcelas que é feito de forma automática com o desconto na folha ou benefício previdenciário, em nada muda.

 

O que pode acontecer é a redução do valor total da dívida, se o CET (Custo Efetivo Total) for menor. Dessa forma, o desembolso mensal será menor. Ou seja, as parcelas podem ficar mais baratas.

 

Outros créditos

 

Existem ainda outras opções de crédito que podem ser portadas. Cada operação pode ter sua particularidade e, no caso de financiamentos regras específicas por ser atrelado a um bem ou serviço diretamente. Consórcios e leasing não podem ser alterados.

 

Na dúvida, a recomendação básica é se informar na instituição contratada. Inclusive, se não for possível migrar que outros benefícios é possível obter.

 

Mas, quando permitida a portabilidade de crédito é bem interessante. Mas como isso funciona na prática?

 

Como funciona a portabilidade de crédito?

 

Resumidamente, ao decidir fazer a portabilidade de crédito, o titular da dívida escolhe para qual banco levar a dívida atual (banco A). O novo banco (Banco B) avalia valores e condições do contrato e compra a dívida.

 

A dívida do Banco A é então quitada pelo Banco B, que emite um novo contrato para o solicitante do crédito, continuar pagando os valores das respectivas parcelas.

 

É importante lembrar que o banco cedente não pode se negar a fazer a portabilidade (desde que respeitadas as regras previstas em contrato como número de parcelas mínimas pagas). A instituição compradora da dívida, entretanto, pode fazer sua avaliação e decidir se aceita ou não a portabilidade.

 

Normalmente, como é de interesse dos bancos ampliar o número de clientes em sua carteira, a operação é vista como positiva.

 

As 7 vantagens da portabilidade de crédito

 

Veja quais são as principais vantagens da portabilidade de crédito:

 

#1 – Redução da taxa de juros de empréstimos;

#2 – Melhores condições de pagamento ou prazos;

#3 – Benefícios associados a outros serviços;

#4 – Melhor atendimento ou suporte;

#5 – Facilidade no acesso ao site ou aplicativos;

#6 – Possibilidade de solicitação de cartões de crédito;

#7 – Economia na cobrança de taxas ou serviços bancários (se o titular da dívida também for correntista do banco).

 

Tem um contrato de empréstimo em andamento? Procure saber mais sobre a portabilidade de crédito e suas regras. No final das contas, você pode economizar mais dinheiro simplesmente mudando de banco.

 

Por Danielle Vieira | Apaixonada por marketing, descobriu os números e finanças ao longo do caminho e, decidiu ajudar as pessoas através da educação financeira. Hoje faz isso atuando no marketing da bxblue, fintech acelerada pela Y Combinator e escrevendo em alguns portais.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

O que é a antecipação do Imposto de Renda?
Por Equipe Organizze
Como manter as dívidas dentro do orçamento?
Por Equipe Organizze
Registrar, organizar e planejar: a tríade do sucesso financeiro
Por Tiago Trespach Marques
Cuidados para evitar os golpes financeiros comuns do empréstimo pessoal
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).