Como trocar uma dívida mais cara por uma mais barata?

Escrito por:

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, pedir um empréstimo nem sempre é ruim. No entanto, há sempre uma modalidade que é mais indicada para cada tipo de necessidade. E mesmo que você tenha feito uma dívida mais cara, é possível trocá-la por uma mais barata.

 

Entenda agora como economizar dinheiro, a partir da portabilidade de crédito.

 

Por que trocar uma dívida mais cara?

 

Por mais óbvio que pareça a resposta para essa pergunta, uma coisa é certa: algumas dívidas podem se tornar maiores ao longo do tempo. Especialmente aquelas em que as taxas de juros não são pré-fixadas ou que podem levar facilmente a inadimplência – como é o caso do rotativo do cartão de crédito.

 

O segredo está na organização financeira. Ou seja, no cuidado para não tornar uma dívida ainda maior. Algumas dicas básicas para isso são:

 

→ manter as contas em dias;

→ não comprometer seu orçamento com despesas desnecessárias;

→ poupar dinheiro para emergências;

→ dentre outras.

 

Mas será que mesmo após ter feito um empréstimo ou financiamento, é possível economizar dinheiro com uma dívida de longo prazo? Para alívio do seu bolso a resposta é: sim. E uma das alternativas para trocar uma dívida mais cara por outra mais barata é com a portabilidade de crédito.

 

Portabilidade de crédito

 

De forma simples, a portabilidade de crédito pode ser entendida como a transferência da dívida para um banco que oferece mais vantagens.

 

Na prática, isso ocorre, na maioria das vezes, porque o banco para o qual a dívida está sendo portada, oferece taxas de juros mais baixas. O que, no final das contas torna a dívida menor.

 

Vale lembrar que a taxa de juros é apenas um dos fatores que compõem o CET (Custo Efetivo Total). Então, para que a troca seja viável financeiramente, é preciso avaliar se o custo total da dívida será de fato menor. E se o saldo for positivo, então ótimo! Você já estará economizando dinheiro.

 

Mas esse não é o único atrativo. Você pode decidir migrar a dívida para outro banco pelo atendimento, pelas conveniências e benefícios, pelos demais serviços. Veja agora as 3 vantagens da portabilidade de crédito.

 

3 vantagens da portabilidade de crédito

 

Além da possibilidade de trocar uma dívida mais cara por uma mais barata, a portabilidade de crédito traz outras vantagens como:

 

1 – Economia de dinheiro

 

Qualquer valor economizado é sempre bom. E quando se fala de uma dívida de médio e longo prazo, melhor ainda! Hoje os bancos estão sempre em busca de oferecer melhores condições para os consumidores. E isso se traduz também em vantagem para quem quer economizar.

 

Então, vale a pena ficar atento a qualquer oportunidade para migrar o empréstimo pessoal, financiamento do veículo ou imobiliário. Com o dinheiro economizado você pode, inclusive, antecipar parcelas ou prestações do contrato vigente.

 

2 – Unificação das dívidas

 

Para uma melhor organização das finanças pessoais, uma boa dica é ter maior visibilidade sobre as receitas e despesas. Isso pode ser feito de forma muito simples através de planilhas ou do próprio Organizze, que é um app de gerenciamento financeiro.

 

A unificação das dívidas, ou seja, a transferência dos contratos de empréstimo ou financiamento para um único banco, também pode ajudar nessa missão! Chega de esquecer a data de vencimento dos boletos ou controlar diferentes contas em vários bancos.

 

3 – Liberação de margem consignável

 

No caso do empréstimo consignado, a margem consignável é o valor limite que pode ser comprometido mensalmente com empréstimos ou cartão de crédito com desconto em folha. Quanto maior o valor da parcela mensal, menor a margem disponível. Portanto, ao trocar uma dívida mais cara, por uma de juros menores, também é possível liberar margem.

 

Em outras palavras, as chances de tomar um novo empréstimo aumentam, já que esse é um dos critérios avaliados para contratação desse tipo de empréstimo.

 

Cuidados para evitar dívidas mais caras

 

Se você quer sair do vermelho e se livrar das dívidas maiores, é válido lembrar alguns cuidados essenciais:

 

1 – Pesquise sobre as diferentes modalidades de crédito

 

Cheque especial, empréstimo, cartão de crédito. Esses são apenas alguns exemplos mais comuns de empréstimo pessoal. Entretanto, cada uma das modalidades pode ser utilizada para usos e urgências diferentes.

 

Os empréstimos também variam em relação ao acesso (direto ou indireto), limites de crédito, taxas de juros e prazos para pagamento. Por isso, é importante buscar o tipo de crédito ideal para cada tipo de necessidade. Evite fazer dívidas mais caras, se você pode buscar outras alternativas.

 

2 – Pesquise sobre as taxas de juros

 

O que faz um crédito ser mais caro é, geralmente, a taxa de juros. E a diferença pode chegar muitas vezes a mais de 20% ao mês.

 

Em resumo, quanto maior o risco de inadimplência, maior a taxa de juros. Quanto maior as garantias dos bancos, menor o valor repassado para o cliente. Portanto, ao pesquisar pelas modalidades de crédito disponíveis, não se esqueça de comparar as taxas de juros entre as modalidades. Avalie também o CET, já que esse será o valor total a ser pago pela dívida.

 

3 – Compare os juros entre os bancos

 

Os bancos também podem cobrar taxas diferentes, para a mesma modalidade de crédito. Exemplo: um empréstimo de mesmo valor e prazo pode totalizar uma dívida mais cara, dependendo do banco contratado.

 

Assim, antes de fechar qualquer negócio, pesquise os bancos que trabalham com aquela linha. Em alguns casos, é possível obter um empréstimo pessoal, mesmo não sendo correntista do banco de interesse. E então, que tal trocar sua dívida mais cara atual e ainda economizar dinheiro? A boa notícia é que tendo quitado parte deste contrato, você já pode migrá-lo para outro banco. Não perca mais tempo (e nem dinheiro!).

 

Por Danielle Vieira | Apaixonada por marketing, descobriu os números e finanças ao longo do caminho e, decidiu ajudar as pessoas através da educação financeira. Hoje faz isso atuando no marketing da bxblue, fintech acelerada pela Y Combinator e escrevendo em alguns portais.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Black Friday: 5 sites para monitorar preços e acompanhar os melhores descontos
Por Equipe Organizze
O segredo do enriquecimento
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
5 dicas para evitar gastos de saúde inesperados
Por Equipe Organizze
Black Friday: o que você precisa saber para aproveitar essa data
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).