Conheça quais são os tipos de empréstimos e saiba qual é o melhor

Escrito por:

Imprevistos, emergências, compras por impulso, desemprego. São inúmeros os motivos que podem levar alguém a ficar sem dinheiro e ter que pedir emprestado. E, com tantos tipos de empréstimo disponíveis, é natural que haja dúvidas sobre esse assunto.

 

Se esse é o seu caso, preparamos este artigo, listando as principais modalidades de crédito oferecidas no mercado e as vantagens e desvantagens de cada uma delas. Continue lendo!

 

Empréstimo pessoal, o mais comum entre os tipos de empréstimo

 

É o empréstimo mais comum, em que você procura uma agência bancária ou financeira. É feita uma análise de crédito e, então, você recebe o dinheiro emprestado.

 

Vantagens

 

→ Rapidez: a contratação normalmente leva menos de 24 horas.

 

→ Disponibilidade: esse tipo de crédito está disponível para todos, desde que não haja restrições ao crédito, o popular “nome sujo”.

 

Desvantagens

 

→ Juros altos: as taxas praticadas são muito altas, se comparadas com outros tipos de empréstimos que falaremos a seguir.

 

Empréstimo consignado

 

Também chamado de “empréstimo com desconto em folha”, é aquele que é descontado diretamente do salário, aposentadoria ou pensão — a parcela está limitada a 30% do pagamento do trabalhador, aposentado ou pensionista.

 

Vantagens

 

→ Juros baixos: o empréstimo consignado possui as menores taxas dos empréstimos oferecidos ao consumidor, já que o banco conta com o salário ou a aposentadoria para a quitação das parcelas.

 

Desvantagens

 

→ Não está disponível para todos: é preciso ser aposentado ou pensionista do INSS, ou que a empresa em que você trabalha tenha convênio com algum banco.

 

→ Pouca flexibilidade: as parcelas são descontadas automaticamente do salário ou da aposentadoria; se houver uma emergência ou imprevisto, por exemplo, não é possível deixar de pagar.

 

Empréstimo por penhor

 

É o empréstimo feito mediante a cessão de um bem — uma modalidade bastante comum é o penhor de joias, feito pela Caixa Econômica Federal. Avalia-se o bem e concede-se o empréstimo naquele valor. O pagamento deve ser feito no prazo para reaver o bem.

 

Vantagens

 

→ Não há análise do cadastro de crédito: quem está com o “nome sujo” pode fazer.

 

Desvantagens

 

→ Juros e tarifas são normalmente altos.

 

→ O não pagamento no prazo pode dar mais prejuízo, já que se perde definitivamente a propriedade do bem. Como o valor da avaliação normalmente é menor que o valor real, perde-se uma quantia entre o que foi emprestado e o que o item realmente valia.

 

Refinanciamento de imóvel

 

Nesse tipo de empréstimo, conhecido como home equity no exterior, o cliente dá seu imóvel como garantia do pagamento.

 

Vantagens

 

→ Juros baixos: como há um bem de alto valor servindo de garantia de quitação, os bancos cobram taxas bem menores do que no crédito pessoal e menores até mesmo que no crédito consignado.

 

→ Prazos longos: os prazos para pagamento são comparáveis aos da compra financiada de imóveis, podendo chegar a até 20 anos.

 

Desvantagens

 

→ Burocracia: para contratar esse tipo de empréstimo, é preciso ceder o imóvel como garantia numa operação chamada alienação fiduciária, em que a casa ou o apartamento ficam no nome do banco até a quitação.

 

→ Custos elevados: além da alienação fiduciária, outros procedimentos requeridos são a análise jurídica e a avaliação do imóvel, o que pode ter custos bastante altos.

 

→ Alto risco: caso não consiga quitar o empréstimo, o cliente perde seu imóvel para o banco.

 

Antecipação da restituição do Imposto de Renda

 

Crédito concedido no valor da restituição do Imposto de Renda que ainda não foi paga.

 

Vantagens

 

→ Juros menores: como há a garantia do pagamento, as taxas são menores que os juros dos empréstimos pessoais.

 

Desvantagens

 

→ Pouca flexibilidade: a quitação do empréstimo tem que ser feita até dezembro, no máximo; se você cair na malha fina ou se sua restituição for parar nos lotes residuais da Receita Federal, pagos no ano seguinte, você provavelmente não terá como liquidar a dívida.

 

→ Prazo curto: os empréstimos desse tipo trabalham com o calendário de restituições da Receita Federal, dando poucos meses para a quitação, o que pode não ser suficiente para você reorganizar suas finanças.

 

Antecipação do 13º salário

 

Crédito concedido no valor do 13º salário, para ser quitado quando ele for pago a você.

 

Vantagens

 

→ Juros menores: assim como na antecipação da restituição e no crédito consignado, o banco tem a garantia de que receberá o dinheiro.

 

Desvantagens

 

→ Pouca flexibilidade: a quitação deve ser feita nos meses do pagamento do 13º salário. Você será obrigado a pagar o valor devido mesmo que sua empresa não pague seu salário.

 

→ Época de quitação: para contratar esse empréstimo, você deve abrir mão do 13º salário, que é pago no fim do ano, uma época de gastos mais altos — presentes de Natal, festas de fim de ano e, em janeiro, material escolar e impostos como IPVA e IPTU. Se optar por esse crédito, organize suas finanças para ter dinheiro para todas essas despesas no final do ano.

 

Crédito pessoal pela internet

 

Nos últimos anos, surgiram várias empresas que oferecem empréstimos exclusivamente pela internet, como Geru, JustBank, Lendico, Bom Pra Crédito e Simplic.

 

O procedimento é muito parecido com o do crédito pessoal tradicional, porém é feito totalmente online e com juros menores.

 

Vantagens

 

→ Juros menores: como as empresas desse tipo não tem custos com agências físicas, conseguem emprestar dinheiro a taxas menores que as do crédito pessoal dos grandes bancos, mas ainda maiores que as do crédito consignado.

 

→ Praticidade: todo o processo é feito pela internet, sem precisar ir até uma agência.

 

Desvantagens

 

→ Análise rigorosa: como as empresas são menores e cobram taxas inferiores às dos grandes bancos, o risco da operação é maior. Sendo assim, elas precisam garantir que você pagará o valor devido e, para isso, fazem uma análise de crédito muito mais rigorosa.

 

Cheque especial

 

Crédito pré-aprovado destinado a “cobrir” o saldo devedor da conta corrente. A contratação do cheque especial é automática e acontece ao virar o dia no vermelho.

 

Vantagens

 

→ Praticidade: por ser pré-aprovado, não é necessário procurar uma agência ou até mesmo acessar o site do banco para contratá-lo.

 

→ Flexibilidade: o valor contratado é exatamente aquele que é preciso para cobrir o saldo devedor e pode ser pago a qualquer momento.

 

Desvantagens

 

→ Juros altíssimos: taxas de juros são normalmente altas no Brasil, mas as do cheque especial são exorbitantes: segundo o Banco Central, em fevereiro de 2017, a média era de 328,3% ao ano.

 

Por isso, é necessário cuidado, pois um empréstimo no cheque especial pode virar uma “bola de neve” quase impossível de ser quitada. Procure outras alternativas de crédito e recorra ao cheque especial apenas em situações em que não há outra alternativa.

 

Rotativo do cartão de crédito

 

É o crédito concedido quando você não paga o valor total da fatura do cartão de crédito. A administradora paga os lojistas e cobra o valor no mês seguinte, com juros.

 

Essa modalidade de crédito passou por mudanças. Uma medida do Conselho Monetário Nacional restringe o prazo do rotativo a 30 dias.

 

Em termos práticos, isso significa que você só poderá pagar o valor mínimo uma vez; no mês seguinte, só será possível pagar o valor total, contratar um financiamento parcelado (que poderá ser oferecido pelo banco ou pela administradora) ou ficar inadimplente.

 

A medida foi anunciada no fim de janeiro e entrou em vigor em 3 de abril de 2017.

 

Vantagens

 

→ Praticidade: assim como no cheque especial, é muito fácil contratar esse crédito — basta não pagar o valor total da fatura.

 

→ Flexibilidade: como o valor mínimo geralmente é muito abaixo do total, há uma boa margem para optar.

 

Desvantagens

 

→ Juros altíssimos: se você ficou impressionado com os juros do cheque especial, saiba que as taxas do rotativo são ainda maiores, acima dos 450% ao ano. É recomendável optar por esse empréstimo apenas quando as outras alternativas listadas neste artigo não estão disponíveis.

 

Agora você já conhece os diferentes tipos de empréstimo disponíveis no mercado!

 

Entretanto, isso ainda não é tudo: antes de pegar dinheiro emprestado, consulte mais de um banco para ver qual deles oferece a melhor taxa de juros. Fique atento também ao Custo Efetivo Total (CET), que representa o valor a ser pago pelo crédito.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Dicas para usar o Online Banking com segurança em 2019
Por Luana Biral
Educação financeira infantil: como começar?
Por Equipe Organizze
5 atitudes que você precisa tomar para conquistar mais riqueza
Por Equipe Organizze
E se aplicar seu dinheiro fosse como comprar imóvel?
Por Felipe Modenese
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).