Cuidados com as dívidas de longo prazo

Escrito por:

Os financiamentos e dívidas de prazo estendido podem ajudar a obter dinheiro imediato, mas por outro lado, podem comprometer a renda por mais tempo. Como saber quando vale a pena fazer uma dívida de longo prazo e quais são os cuidados necessários?

 

Separamos algumas dicas para ajudar nessa avaliação, antes de sair por aí fazendo uma nova compra ou conta. Confira!

 

Quando fazer uma dívida de longo prazo?

 

Primeiro, vamos começar por dois pontos bem importantes, antes de fazer qualquer dívida que são:

 

1 – Avaliar sua necessidade e avaliar sua capacidade de pagamento

 

Obviamente, um está diretamente associado ao outro e também ao planejamento financeiro pessoal ou familiar. Para arcar com a nova despesa é preciso ter o mínimo de organização financeira, para que uma ação pontual não interfira nos planos futuros.

 

Se a dívida ainda gera dúvida e não é essencial, talvez valha a pena adiar. No entanto, existem situações financeiras que são emergenciais e outras que podem ser consideradas como um investimento (também de longo prazo).

 

Comprar um imóvel ou um automóvel, por exemplo, pode ser um investimento relevante e, para quem não tem todo dinheiro disponível no momento, o financiamento ou empréstimo podem ser soluções viáveis.

 

Financiamento ou Empréstimo: o que é melhor?

 

As duas modalidades são linhas de empréstimo pessoal, ou seja, disponíveis para pessoas físicas. Conforme o tipo de crédito escolhido, as condições podem variar tanto em função do valor do crédito liberado – condicionado ou não a outras garantias, como em relação ao prazo para pagamento.

 

As taxas de juros cobradas são outra variável a ser considerada, afinal, dependendo do tipo de crédito a taxa de juros pode ser maior ou menor. Em outras palavras, isso pode tornar um dívida mais cara ou barata, no fim das contas.

 

O financiamento está atrelado a um bem ou serviço e permite que o contratante tenha condições financeiras mínimas para acessá-lo. Não é preciso financiar o valor total mas, normalmente, essa é a forma mais comum de aquisição, justamente por se tratarem de contratações de maior valor.

 

Por outro lado, um empréstimo pode ser solicitado quando a pessoa precisa de dinheiro extra, mas não é necessariamente para comprar algo novo. Pode ser para quitar dívidas ou trocar uma dívida mais cara por uma mais barata, fazendo essa manobra financeira que é bem estratégica.

 

Neste segundo caso, o dinheiro pode ser utilizado para qualquer finalidade e como o solicitante bem entender.

 

Cuidados com as dívidas de longo prazo

 

Independente do tipo de crédito buscado, vale comparar as ofertas e pensar também em quanto tempo a dívida será quitada. Essa conta é fácil!

 

Prazos menores representam parcelas maiores. Ou seja, desembolsos no curto período mais altos. Prazos maiores tornam as parcelas da dívida menor, uma vez que a dívida total é diluída por mais meses.

 

E o que é melhor? Essa resposta para essa pergunta irá depender da sua capacidade de pagamento. Se tiver como liquidar a dívida antes, não há porque fazer contratos maiores.

 

Mas, se por acaso isso ocorrer, é possível avaliar a quitação antecipada. Muitas instituições financeiras permitem o pagamento antes do prazo original. Neste caso, o valor futuro é trazido para o valor presente e pode render um bom desconto.

 

Agora, se faz mais sentido pagar parcelas menores, porque é o que efetivamente cabe no bolso, vale a pena parcelar em mais vezes desde que os juros não tornem a dívida muito maior.

 

E aí, mais uma vez, é preciso planejamento para não pagar a dívida com atraso ou ficar inadimplente.

 

Os Aposentados e Pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), tiveram o limite de parcelas do empréstimo consignado alterado recentemente.

 

O prazo passou de 72 meses para 84 meses, ou seja, 7 anos. A flexibilidade aliada a segurança do crédito consignado ser uma despesa fixa e com desconto automático, podem compensar.

 

É preciso tomar os devidos cuidados para que a dívida de longo prazo, não se torne um pesadelo e não comprometa sua chance futura de acesso ao crédito. Afinal, nunca se sabe quando será necessário recorrer a um financiamento ou empréstimo pessoal.

 

Fazendo tudo ao seu tempo e de forma organizada, além de pesquisar pelas melhores opções de linhas disponíveis não há com o que se preocupar. Ah, e sobrando um dinheiro, considere quitar alguma dívida anterior.

 

Por Danielle Vieira | Apaixonada por marketing, descobriu os números e finanças ao longo do caminho e, decidiu ajudar as pessoas através da educação financeira. Hoje faz isso atuando no marketing da bxblue, fintech acelerada pela Y Combinator e escrevendo em alguns portais.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Quanto da renda mensal pode ser comprometido com empréstimos?
Por Equipe Organizze
O que fazer para sair do endividamento?
Por Equipe Organizze
Como priorizar as dívidas? Saiba o que fazer para evitar que a dívida aumente
Por Equipe Organizze
4 dicas para você limpar hoje mesmo o seu nome e sair da inadimplência
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).