Glossário de finanças pessoais para iniciantes: 9 termos financeiros que você precisa saber

Escrito por:

Cuidar das finanças pessoais, realizar investimentos e estar atento aos principais assuntos do mercado financeiro é uma prática bastante recente de grande parte dos brasileiros, já que o país não possui uma cultura de ensinar sobre os temas às crianças e adolescentes.

 

Estes novos hábitos de parte dos brasileiros, no entanto, trazem consigo uma série de dúvidas quanto a termos e jargões comuns do mercado, que acabam gerando uma grande confusão na cabeça de muita gente.

 

No artigo de hoje você conhecerá alguns dos principais termos financeiros que todo iniciante precisa conhecer para se manter antenada e dar seus primeiros passos no ambiente das finanças pessoais e do mercado financeiro com maior solidez e confiança. Acompanhe!

 

1 – Inflação

 

A inflação nada mais é que a variação contínua e generalizada de bens e serviços dentro de uma economia ao longo de um período de tempo – seja em um mês, em um semestre, em um ano, etc. No Brasil, a inflação é medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

 

Apesar da definição de inflação ainda ser um pouco abstrata para a maioria das pessoas, é possível percebê-la no dia a dia, com a elevação de preços no mercado, por exemplo. Quando você percebe um gasto maior para adquirir os mesmos produtos ou serviços que você já adquiriu no passado está identificando a inflação.

 

2 – Selic

 

A Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) é uma taxa de financiamento no mercado interbancário para operações de um dia, lastreada em títulos públicos federais que são listados e negociados neste sistema Selic. Por conta disso, esta taxa acaba sendo utilizada como referência para outras operações e para as demais taxas de juros da economia, sendo conhecida, portanto, como taxa básica de juros.

 

3 – Orçamento Familiar

 

O orçamento familiar é uma das principais ferramentas de gerenciamento das finanças pessoais. Por meio do orçamento familiar é possível conhecer e identificar o comportamento financeiro da família e realizar alterações, em caso de necessidade.

 

Essa administração financeira deve contar com a participação de todos os membros da família, que podem ajudar a controlar a entrada e saída do dinheiro e planejar o destino que será dado a cada um dos rendimentos.

 

4 – Reserva Financeira

 

Reserva financeira – ou fundo de emergência – é uma quantia de dinheiro que todo poupador deve guardar para situações emergenciais e imprevistos, como gastos extras com o conserto de um carro, perda do emprego, gastos com medicamentos, entre outros.

 

Não existe uma quantia exata para construção desta reserva financeira, que irá variar de acordo com os ganhos e os hábitos financeiros de cada um. O ideal, no entanto, é que toda pessoa tenha, em seu fundo de emergência, a quantia referente a seis meses de remuneração, a fim de cobrir as principais despesas mensais por um período de seis meses em caso de necessidade.

 

Para construir uma reserva financeira não há segredos, é preciso poupar e destinar parte dos ganhos todos os meses para construção deste fundo emergencial.

 

Leia mais: Como descobrir se a sua reserva de emergência é suficiente? Regra do 3-6-9

 

5 – Investimento

 

Investimento é tudo aquilo que se desembolsa com o objetivo de obter resultados ou ganho no futuro. Investe-se tempo, dinheiro, etc.

 

No que se refere às finanças, um investimento nada mais é que a aplicação do dinheiro em determinados produtos que resulte em rendimentos no futuro, seja no curto, no médio ou no longo prazo.

 

6 – Rendimento ou Rentabilidade

 

O rendimento – ou rentabilidade – no âmbito do mercado financeiro é o resultado obtido por meio de uma aplicação ou investimento realizado. Trata-se da renda proveniente dos investimentos.

 

A rentabilidade é um dos principais pontos a ser considerado pelos investidores na hora de escolher um investimento. Quanto maior o risco do investimento, maior tende a ser seu rendimento.

 

7 – Perfil do Investidor

 

O Perfil do Investidor é uma classificação que tem como principal objetivo identificar o perfil de cada investidor com base no seu estilo em relação aos investimentos e o risco que está disposto a correr para ter melhores rendimentos.

 

Este perfil pode ser conservador, moderado ou agressivo. Investidores conservadores têm mais aversão aos riscos, e preferem investimentos mais seguros, como os produtos de renda fixa.

 

Já os investidores moderados possuem uma tolerância maior ao risco, e costumam arriscar um pouco mais em algumas aplicações. Os investidores agressivos – ou arrojados, por outro lado, aceitam o risco e buscam opções de investimento mais arriscadas, mas que entreguem a melhor rentabilidade possível.

 

Identificar o seu perfil de investidor antes de realizar aportes é muito importante, pois com esta informação em mãos é possível encontrar as melhores opções de investimento compatíveis com seus objetivos e seu estilo de investimento, resultando em aportes mais assertivos.

 

8 – Empréstimo

 

O empréstimo bancário é uma quantia de dinheiro emprestada pelo banco para seus clientes – sejam eles pessoas físicas ou jurídicas – para as mais diversas finalidades. O valor emprestado pela instituição financeira se transforma em uma dívida, que precisa ser quitada pelo cliente acrescida de juros e taxas diversas, que variam de acordo com o tipo de empréstimo tomado.

 

9 – Cheque Especial

 

O cheque especial é uma modalidade de empréstimo pré-aprovado oferecido por instituições financeiras aos seus clientes. O valor do cheque especial costuma ficar disponível na conta do cliente para contratação imediata, podendo ser utilizado quando necessário.

 

Apesar de útil em situações mais emergenciais, é preciso ficar atento ao uso do cheque especial, principalmente por conta das altíssimas taxas de juros cobradas pelo uso deste crédito. No Brasil, a taxa anual de juros sobre o cheque especial costuma ficar em três dígitos, sendo a segunda modalidade de empréstimo mais cara do país – perdendo apenas para o crédito rotativo do cartão de crédito.

 

Gostou do nosso glossário de finanças pessoais? Então deixe seu comentário no post!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

5 ideias de como ter um closet gastando pouco
Por Viva Decora
Como escolher o regime de bens! Conversinha difícil e necessária
Por Nathalia Arcuri | Me Poupe
Saiba como evitar e o que fazer em caso de problemas com fornecedores de casamento
Por Wedy.com
Conheça o Fundo Garantidor de Créditos: o “seguro” de seus investimentos
Por Renan Lima
Organizze
Experimente o poder de ter suas finanças sempre em ordem

Cadastre-se GRÁTIS no Organizze, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).