Independência Financeira: como planejar?

Escrito por:

Se tem algo que mexe com as pessoas e que por isso mesmo tem se tornado um tema cada vez mais lido e debatido, é o da independência financeira, já que inseguranças nessa área podem causar todo tipo de sofrimento.

 

De fato, são bastante conhecidas as frustrações que giram em torno da dificuldade de pagar uma conta no fim do mês, com medo das consequências que isso pode causar (como perder um serviço de água ou de luz, ou mesmo ser despejado de uma casa).

 

Além disso, o problema de ter de trabalhar muito e até fazer duas jornadas para simplesmente sobreviver, com isso deixando de lado uma vida de passeios, viagens e atividades que fariam mais sentido, também é conhecido e generalizado.

 

Hoje em dia, as pessoas trabalham muito, especialmente nas grandes cidades. Alguns termos que começaram a circular deixam isso bem claro, como workaholic, que é a pessoa viciada em trabalho; ou mesmo uma síndrome de Burnout.

 

Essa síndrome representa os efeitos psicológicos desse excesso de trabalho, o que causa esgotamento. Às vezes a pessoa não tem tempo para fazer o que gosta, como procurar uma aula de dança, ou tirar um mês inteiro de férias, etc.

 

Por isso é que a busca por soluções de independência financeira tem crescido. Então, neste artigo vamos mostrar como começar a planejar a sua, basta seguir adiante.

 

Importância do planejamento financeiro

 

Como vimos, para cada um a independência financeira pode significar uma coisa diferente.

 

Atualmente esse conceito pode ir desde a tranquilidade de pagar as contas principais com folga (como prestação da casa e do carro), passando por uma reserva para imprevistos (como o do desemprego), até não precisar trabalhar para fazer o que gosta.

 

Em todo caso, o primeiro passo é o planejamento financeiro, que vai traçar uma visão de curto, médio e longo prazo. Se você só quer conquistar uma reserva, pode iniciar algo que traga uma segunda renda, como vender bolo caseiro.

 

Essa reserva de emergência é, sem dúvida, um ótimo começo para qualquer independência financeira. É por não poder contar com algo assim que a maioria das pessoas vai se frustrar e viver com ansiedade, além de não poder fazer o que gosta.

 

Um passo importante para a independência

 

Quem já conseguiu criar uma reserva precisa dar o famoso passo da independência de contas e endividamento. Muitas vezes é o juros de um cheque especial o que pode consumir toda a renda mensal da pessoa.

 

Aqui é importante colocar tudo na ponta do lápis, para que seu estilo de vida seja reeducado e deixe de gastar mais do que ganha. Depois de colocar as contas em dia, é preciso começar a gastar menos e começar a juntar dinheiro.

 

É possível utilizar um calendário personalizado para colocar uma meta. Daqui quantos meses/anos você se vê com as contas em dia, sem endividamento e juros pesados?

 

Ter uma reserva, pagar as dívidas e aprender a não se endividar à toa é um dos grandes motivadores de qualquer pessoa, que enfim começa a ter domínio sobre a situação.

 

Rumo à famosa “liberdade total”

 

Hoje em dia, é muito comum dizer que o que enriquece não é o emprego onde você vende sua força de trabalho, mas sim o “trabalho depois do trabalho”.

 

Ou seja, é aquela atividade que você usou como segunda fonte de renda. Agora que você está em dia com sua saúde financeira, sem endividamento e com reserva de emergência, é hora de ampliar suas fontes de renda e consolidá-las.

 

Uma meta de 5 anos é razoável para conseguir uma “liberdade de emprego”. Ou seja, você já não vai ser tão dependente assim de alguém que contratou você, mas vai poder se considerar seu próprio chefe.

 

Veja maneiras bacanas de gerar sua própria renda:

 

→ Fazer aplicação ou investimento;

→  Trabalhar como afiliado de uma marca;

→  Revender produtos importados;

→  Prestar consultoria de algo que gosta;

→  Criar e gerenciar uma loja virtual;

→  Trabalhar como freelancer em algo que você domina.

 

Enfim, usar a criatividade para gerar mais renda até que isso permita a liberdade total, isto é, uma independência já não apenas passiva, mas ativa e proativa.

 

O caminho do freelancer tem feito cada vez mais sucesso. Por exemplo, se você gosta de trabalhar com fotos e imagens em suas redes sociais, que tal começar a fazer banner informativo e outras artes como modo de ganhar seu dinheiro?

 

São iniciativas assim que podem apontar saídas que estão muito acima de depender de um emprego ou de carteira assinada. Unindo isso às demais dicas que demos acima, fica cada vez mais fácil atingir a tão sonhada independência financeira.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

O que é a antecipação do Imposto de Renda?
Por Equipe Organizze
3 dicas de mudança de comportamento para iniciar uma educação financeira
Por Equipe Organizze
Não coloque todos os ovos na mesma cesta
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Consumo planejado: dicas para evitar deixar a renda familiar no vermelho
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).