O que é o crédito rotativo e como se prevenir dos seus perigos

Escrito por:

Comprar a crédito tornou-se uma prática comum de mercado em nossa sociedade atual. Na verdade, não é uma prática nova — mesmo antes da invenção do cartão de crédito, o homem já comprava a crédito, mas o vendedor confiava unicamente na palavra do comprador ou tomava um bem seu como garantia até o pagamento.

 

O crédito rotativo também está se popularizando entre os consumidores.

 

Você já fez, pretende fazer ou está fazendo uso do crédito rotativo? Tem dúvidas sobre como utilizá-lo corretamente? Leia o post e tire suas dúvidas!

 

O que é o crédito rotativo?

 

O crédito rotativo é uma linha de crédito que é aberta para uma pessoa física ou uma empresa com limite predefinido, podendo ser usada automaticamente pelo tomador conforme suas necessidades.

 

Podemos considerar o crédito rotativo como um empréstimo emergencial, bem semelhante ao cheque especial (que, atualmente, não é tão aproveitado como antes).

 

Leia mais: Conheça 6 dicas para sair do limite de cheque especial

 

Quais são as principais características do crédito rotativo?

 

Veja algumas características do crédito rotativo:

 

→ O tomador é submetido a uma análise de crédito para confirmar se ele realmente pode assumir o compromisso e pagar os limites que vier a usar;

 

→ O tomador poderá usar ou retirar fundos até atingir um limite pré-aprovado;

 

→ O valor do crédito aumenta ou diminui à medida que o tomador usa ou paga o dinheiro;

 

→ O crédito pode ser usado repetidamente;

 

→ O pagamento será feito baseado somente no valor que o tomador usou (esse valor é que será acrescido de juros e possíveis impostos);

 

→ O tomador pode pagar parcelado (respeitando o valor de pagamento mínimo) ou de forma integral a qualquer momento.

 

Como funciona o crédito rotativo?

 

O crédito disponível pode aumentar ou ficar menor. Diminui à medida que o tomador usa o crédito. Aumenta conforme o tomador faz o pagamento do valor principal já usado.

 

Dessa maneira, entende-se que o limite de crédito é recuperado por meio do pagamento do valor da dívida acrescido de juros. As taxas e encargos só incidem quando o tomador usa os recursos do crédito rotativo.

 

Como acessar o crédito rotativo?

 

Para ter direito ao crédito rotativo, o cliente deve apresentar uma solicitação ao banco do qual é correntista. A instituição analisará seu crédito e disponibilizará um determinado limite para o cartão.

 

O tomador também precisará de um cartão de crédito comum, sobre o qual incidirão os custos de anuidade como acontece com qualquer cartão de crédito.

 

Quais os perigos do cartão de crédito rotativo?

 

Como o uso do cartão de crédito rotativo se dá de forma automática, é necessário o uso consciente do produto. Caso contrário, o tomador logo estará cheio de dívidas. É necessário tomar cuidado principalmente quanto aos limites do cartão, para não ultrapassá-los.

 

Quando o tomador decide pagar parceladamente a fatura do cartão, terá que assumir o pagamento das taxas de juros mais altas do mercado. No próximo mês, serão cobrados mais juros e mais encargos acumulados.

 

O uso irresponsável do cartão poderá resultar no aumento das dívidas ao longo do tempo, já que o tomador acumulará gastos e mais gastos em seu cartão de crédito rotativo. Dessa forma, tem início o conhecido efeito “bola de neve”, muito difícil de ser controlado. A bola de neve vai arrasando tudo à sua passagem, ou seja, transforma a vida financeira do tomador em um caos, podendo mesmo destruí-la completamente.

 

A falta de educação financeira adequada da população brasileira tem sido a principal causa do endividamento elevado dos usuários de cartão de crédito rotativo. Na verdade, esse cartão só deve ser usado em casos de emergência, quando não há efetivamente outra opção.

 

Muitos brasileiros enganam-se, julgando que o parcelamento no cartão de crédito rotativo é a única opção disponível para resolver sua situação. Assim, mesmo pagando altas taxas de juros, eles assumem o risco e depois, em boa parte das vezes, não conseguem cumprir suas obrigações ou ficam muito prejudicados financeiramente para saldar essas dívidas.

 

Outra possível solução é pedir dinheiro emprestado ao banco, pois esses empréstimos comportam taxas de juros menores que as do cartão de crédito rotativo. Talvez, um empréstimo com um amigo ou parente seja outra solução, bem menos perigosa.

 

Como os juros são cobrados no crédito rotativo?

 

Confira agora como os juros incidem sobre as parcelas da fatura do crédito rotativo. A taxa de juros incide sobre o saldo verificado entre o total da fatura e o total pago.

 

Para ficar mais fácil de entender, considere o exemplo abaixo:

 

→ Pagamento total até o dia 30: R$ 550,00;

 

→ Pagamento mínimo: R$ 60,00;

 

→ Saldo: R$ 490,00.

 

Logo, será sobre o valor de R$ 490,00 que serão adicionados os juros do crédito rotativo. Na própria fatura, virá especificado o valor da taxa de juros que incidirá no período da fatura e no próximo período.

 

Os juros podem alcançar até 300% ao ano. Ou seja, eles são realmente muito elevados. Caso o tomador contraia uma dívida tão alta que não possa pagar, correrá o risco de ver seu CPF inscrito no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), tornando impossível a efetivação de compras a prazo e os pedidos de financiamento.

 

Quais os cuidados que o tomador deve ter?

 

Diante de tudo que foi explicado, fica bastante claro que o tomador só deve usar o cartão de crédito rotativo em casos de extrema necessidade. Sempre que possível, recorra a outras soluções. E, quando optar pelo cartão de crédito rotativo, você deve calcular bem o que será gasto conforme seu próprio orçamento.

 

Planeje-se para pagar a fatura integral do cartão de crédito rotativo e assim evitar os juros altos que incidem sobre o parcelamento.

 

Uma das mais novas alterações feitas no cartão de crédito rotativo diz que o tomador que não tiver condições financeiras, só poderá passar o máximo de 30 dias no rotativo. Após esse período, ele será transferido para um crédito parcelado a taxas menores.

 

O Banco Central afirma que, com essa medida, diminuem os riscos de uma dívida tornar-se impagável.

 

Para finalizar, entenda que os juros do cartão de crédito rotativo são muito altos porque ele foi criado para ser usado somente em situações de emergência. Nesse caso, os riscos de calote por parte do tomador são maiores, o que faz com que os bancos se protejam cobrando taxas de juros bem mais altas.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Cuidados para evitar os golpes financeiros comuns do empréstimo pessoal
Por Equipe Organizze
Pix: entenda o passo a passo de como o sistema funciona
Por Equipe Organizze
Supérfluos: os obstáculos para seus objetivos financeiros
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
7 dicas para viver em paz com o cartão de crédito
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).