O que preciso levar em consideração ao escolher um carro usado?

Escrito por:

Ter o carro próprio é útil para quem precisa se deslocar muito diariamente. Além disso, pode ser o sonho de muitas pessoas que chegam à vida adulta. 

 

Principalmente nas épocas de distanciamento social, em que não é indicado utilizar os transportes públicos, é essencial ter a autonomia que o próprio carro pode trazer. 

 

Com os preços dos automóveis novos na atualidade, muitas pessoas optam por comprar carros seminovos ou usados. Os veículos seminovos atraem por conta do preço e condições mais vantajosas de pagamento, se comparados com os carros 0km.

 

Mas a dúvida em tempos de crise financeira e econômica é se a compra desse tipo de carro vale realmente a pena, ou se trará mais gastos num futuro próximo. A boa notícia é que é totalmente possível fazer uma compra de carro usado totalmente segura. 

 

Existem fatores a se considerar na hora de comprar um carro usado, que podem ajudar a escolher um veículo de qualidade, que caiba no bolso e que não trará gastos extras de manutenção. Confira abaixo!

 

1 – Usado ou seminovo?

 

 

Os carros seminovos são aqueles que possuem até 3 anos e geralmente ainda estão na garantia. Em comparação com os novos, possuem taxas de parcelamento mais baixas, o que é economicamente atrativo.

 

Os usados são os carros com mais de 3 anos, dependendo da montadora é ainda possível encontrar um veículo com garantia até 5 ou 6 anos da fabricação. As taxas de parcelamento dos carros usados podem ser um pouco maiores que os seminovos. Mas o valor integral do veículo é sempre mais em conta, conforme o modelo.

 

2 – Quilometragem

 

Quanto mais o veículo tenha rodado, maior a chance de trazer algum defeito ou necessitar de alguma manutenção, isso excluindo a forma como o dono anterior cuidou do carro. A média usada no mercado é que, normalmente, um carro roda 15 mil quilômetros por ano.

 

Se o veículo estiver fora dessa média, o ideal seria reconsiderar a compra. Porém, existem carros com quilometragem alta que foram bem cuidados, com todas as revisões realizadas. Então não é exatamente uma regra a ser seguida radicalmente.

 

3 – Depreciação

 

O carro 0km, ao sair da fábrica, já começa a sofrer depreciação. Normalmente já perde 15% de seu valor logo que sai da concessionária. Os carros seminovos atraem justamente por ter a depreciação menor, mas também vão perdendo valor ao passar do tempo. Considere a desvalorização ao comprar seu veículo seminovo, principalmente na hora de repassar o carro num futuro.

 

4 – Aparência X Condições mecânicas

 

É a máxima do “quem vê cara, não vê coração”, ou seja, quem vê apenas a aparência do carro não sabe exatamente a condição do carro. Ele pode estar impecável por fora, mas não recebeu a manutenção devida e pode apresentar problemas mecânicos. 

 

O ideal é ter a avaliação de um mecânico de confiança na hora de escolher o modelo que queira comprar. Ele saberá ver se as peças são originais, se as revisões foram realizadas e entre outros detalhes que podem fazer a diferença.

 

5 – Eficiência do motor

 

A eficiência do motor do veículo mostra o consumo de combustível daquele modelo, influenciando diretamente nos gastos que o comprador terá. É essencial verificar quantos quilômetros o carro faz, em média, com os tipos de combustíveis que aceita. 

 

Se o carro será usado mais na cidade, procure um carro que apresente maior rendimento nesse tipo de uso. 

 

6 – Seguro auto

 

O seguro auto será seu melhor amigo, principalmente ao comprar um carro seminovo ou usado. Muitas pessoas optam por não contratar o seguro e acabam gastando muito mais pagando os consertos em caso de colisões. Fora o fato de não estar amparado em casos de furtos, roubos e acidentes com vítimas. 

 

O seguro auto pode ser parcelado e, dependendo da cobertura, apresenta uma economia significativa na hora que precisar acionar a seguradora, pagando somente a franquia em vez do conserto completo. 

 

Em casos de perda total do veículo, o segurado será reembolsado com o valor do veículo que consta na Tabela FIPE (tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, que determina a média de valor para os modelos de automóveis de acordo com o ano de fabricação).

 

7 – Impostos e documentação

 

Ao comprar um veículo leve em consideração também os impostos como o IPVA. O IPVA é calculado de acordo com o valor do veículo na Tabela FIPE. No caso de seminovos ou usados, então, o imposto será menor do que um carro novo. 

 

Por fim, verifique se a documentação do veículo está em dia, se o chassi do veículo é original, além de verificar se não há nenhum sinistro registrado naquele veículo. 

 

Enviado por: Andreia Silveira, editora no site SeguroAuto.org.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Trocar de carro ou consertar o atual? Veja o que compensa mais!
Por Equipe Organizze
6 dicas para fazer o planejamento financeiro em uma viagem de carro
Por Equipe Organizze
6 mitos sobre economizar combustível que você pode estar seguindo (e gastando mais)
Por Equipe Organizze
Como manutenções preventivas podem ajudar a diminuir gastos com seu carro
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).