Os cinco maiores erros financeiros cometidos aos 20 anos

Escrito por:

No auge dos vinte e poucos anos, tendemos a achar que a vida é longa e que o dinheiro foi feito exclusivamente para gastar. Assim, no desejo de curtir cada momento, perdemos boas oportunidades de garantir um futuro mais seguro e conquistar cedo a estabilidade financeira.

 

Se você está nessa fase em que a vontade de ter, fala mais alto do que a razão, descubra nesse artigo erros financeiros que cometemos aos vinte anos e procure não cometê-los novamente.

 

1 – Ostentação: o erro de adquirir para se exibir

 

 

Na faixa dos 20, o jovem costuma querer se impor pelas aparências. Além disso, ele busca ter o que não pode. Isso acontece porque, de modo geral, eles gostam de se exibir para os amigos, namorada(o) e para a sociedade. O desejo de ostentar faz com que adotem um estilo de vida acima do seu padrão, o que consequentemente gera dívidas com roupas de marca, baladas caras, celulares do momento e demais custos.

 

Para fugir disso, procure equilibrar o seu orçamento e não gastar mais do que ganha sob nenhuma hipótese. É possível se divertir e andar bem vestido sem prejudicar as finanças, basta pesquisar preços, estabelecer prioridades e adquirir somente o que você realmente precisa.

 

2 – Falta muito para envelhecer: o erro de não pensar no futuro

 

 

Os jovens de 20 anos não se dão conta de que a cada dia ficam mais velhos e, ao pensar que detêm a fórmula da juventude eterna, eles subestimam a própria expectativa de vida. Desse modo, homens e mulheres acabam se apegando ao presente e negligenciando o futuro, especialmente no que diz respeito à aposentadoria. Isso é uma grande falha!

 

A partir do momento em que a pessoa passa a lidar com o próprio dinheiro, ela deve começar a poupar, a fim de ter uma velhice segura e tranquila. Mesmo que ainda faltem muitos anos para você parar de trabalhar, comece a pensar e planejar a sua aposentadoria a partir de agora!

 

3 – Automóvel zero a todo custo: o erro de abrir mão de tudo para ter um carro novo

 

 

Tudo bem, carros são bens de consumo úteis e, embora apresentem uma alta taxa de depreciação, eles oferecem muitas vantagens, como a possibilidade de chegar ao trabalho ou à faculdade mais rápido. O erro aqui não está no carro em si, mas na falsa necessidade de ter um carro do ano, mesmo que as parcelas sejam altas, ainda que o valor do seguro seja elevado e que você já tenha outro carro – em bom estado, diga-se de passagem.

 

Um automóvel acarreta muitos gastos, incluindo manutenção e combustível. Parece uma medida exagerada, mas, para evitar esse problema, as melhores alternativas ainda são os carros usados, as motocicletas e bicicletas. Deixe para investir no carro novo quando a sua vida financeira estiver mais estável!

 

4 – Relacionamentos: o erro de se precipitar em decisões importantes

 

 

Na juventude é mais fácil se envolver – e se iludir – afetivamente. Por isso, é importante destacar que uma escolha errada pode sim comprometer a vida financeira. Um jovem de vinte anos que decide se casar sem o devido planejamento está mais sujeito a se separar. Logo, está mais propenso a passar por disputas judiciais e partilhas de bens. Se do relacionamento desfeito restarem filhos, inclua na conta a pensão alimentícia. Tudo isso pode virar a cabeça e as finanças do jovem, pelo simples fato dele ter entrado em um status conjugal sem estar preparado para tamanhas mudanças que a vida de casado acarreta.

 

5 – O que ganho é suficiente: o erro de não aproveitar sua capacidade de ganhar dinheiro

 

 

Normalmente, é nessa época da vida que os jovens iniciam a carreira e estão amadurecendo pessoalmente e profissionalmente. No entanto, esse é também o período em que as pessoas de 20 anos tendem a se acomodar financeiramente, acreditando que o que ganham é suficiente para suprir as suas necessidades. Com isso, negligenciam o fato de que na juventude temos mais força e tempo para trabalhar e formar patrimônio.

 

Na verdade, esse seria o momento de usar inclusive a criatividade e o frescor da juventude para idealizar o próprio negócio, ainda que ele só saia do papel no futuro. Além disso, é com essa idade que você deve olhar para sua atual situação e definir metas financeiras. Estabeleça onde e como você quer estar daqui a 5, 10, 20 anos. Lembre-se de investir nos estudos, buscar qualificação profissional e ampliar a sua rede de contatos. Isso pode maximizar o seu potencial para ganhar dinheiro e conquistar seus objetivos financeiros!

 

E aí, você já cometeu ou está cometendo algum desses erros? Como você procura evitá-los? Compartilhe as suas opiniões e experiências nos comentários!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

4 dicas para fazer bons investimentos em 2018
Por Ana Cláudia Inez
5 dicas para fazer uma viagem de Ano Novo barata
Por Equipe Organizze
Como economizar em passagens aéreas?
Por Equipe Organizze
4 maiores mitos sobre finanças pessoais
Por Equipe Organizze
Organizze
Experimente o poder de ter suas finanças sempre em ordem

Cadastre-se GRÁTIS no Organizze, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).