Otimizando os investimentos

Escrito por:

Com as mudanças que estão acontecendo no mercado brasileiro, será cada vez mais recomendado que todo investidor tenha uma parcela dos seus investimentos em renda variável. Principalmente agora com a queda dos juros, a renda fixa terá como propósito a preservação do patrimônio, e é na renda variável que você terá o reflexo do crescimento da economia e da valorização das empresas.

 

Caso tenha um perfil conservador, por exemplo, uma alocação de até 10% de seus investimentos em renda variável dificilmente fará com que o resultado mensal da sua carteira seja negativo. Por isso, todo investidor deve considerar essa opção para diversificação do portfólio.

 

Para se investir em renda variável, você conta com uma variedade enorme de produtos: fundos de ações, ETF’s, ações, fundos multimercados, etc. As pessoas menos ativas no mercado podem através dos Fundos de Investimento delegar a gestão e a escolha dos ativos irão compor sua carteira, já os mais ativos poderão comprar diretamente suas ações pelo Homebroker. Para ajudar a montar a sua carteira é fundamental contar com a opinião de um especialista. O Planejador Financeiro irá entender quais são os seus objetivos, o seu perfil e sua disponibilidade para o mercado. Dessa forma, ajuda a compor a alocação adequada para seus objetivos e ao seu perfil.

 

Definida a estratégia de alocação e os produtos que compõem a sua carteira, você deverá ter disciplina para seguir com o planejado. A constância de novos aportes, ligada ao rebalanceamento inteligente, ajudarão a trazer resultados ainda melhores para os seus investimentos.

 

Para dar um exemplo de como funciona o rebalanceamento digamos que você defina ter 80% da sua carteira em renda fixa e 20% em renda variável. Supondo um cenário positivo para os ativos de risco, teremos uma performance melhor da parte variável da carteira, consequentemente a proporção vai se alterar, atingindo porcentagens maiores do que 20% (25%, 30% por exemplo), dessa forma será necessário rebalancear sua carteira e voltar para sua alocação estratégica definida.

 

Tenha cuidado para que o rebalanceamento não gere um giro excessivo na sua carteira, pois isso vai te trazer mais custos operacionais e impostos. Então a melhor maneira de você otimizar isso tudo, é fazendo a calibragem da sua carteira através dos novos aportes. Por isso ter disciplina é tão importante. É como numa atividade física, feita de maneira adequada e constante inevitavelmente trará bons resultados.

 

O papel do Planejador Financeiro se assemelha ao do Personal Trainner, mantendo o investidor focado nos seus objetivos e principalmente auxiliando na tomada de decisão, contribuindo dessa com que você não cometa grandes erros, e não cometer grandes erros na vida financeira já é uma grande vantagem.

 

A posição mais racional e isenta de conflitos de interesses do planejador financeiro, fará dele o guardião dos seus objetivos, te ajudando a manter sua estratégia mesmo em momentos de estresse do mercado, favorecendo dessa forma, o sucesso dos seus investimentos.

 

*Escrito por Juliano Loureiro.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Qual a sua referência nos investimentos? Conheça os principais índices do mercado e compare com sua carteira
Por Alphamar Investimentos
Ações na Bolsa de Valores: entenda como ganhar com este investimento
Por Ana Cláudia Inez
4 erros que quem investe em ações não pode cometer
Por Equipe Organizze
Ações: investir direto ou investir via fundos?
Por Felipe Modenese
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).