Pedir empréstimo é ruim?

Escrito por:

Decidir se chegou a hora de pedir empréstimo pode ser uma tarefa difícil. Existem diversas opções no mercado, com taxas de juros e opções de pagamento diversas.

 

Além disso, o empréstimo muitas vezes é associado com uma decisão ruim. O que poucos sabem é que, com planejamento, essa pode ser uma boa decisão. Quer saber como? Leia o nosso post de hoje!

 

Escolhendo o melhor tipo de empréstimo

 

Obter crédito não é uma tarefa complicada. Com um pouco de calma e planejamento é possível entrar em contato com uma instituição bancária em busca de uma boa alternativa. Bancos sólidos possuem carteiras de crédito com opções para quem procura financiamento estudantil, baixas taxas de juros e até mais facilidade para a obtenção de um dinheiro a mais no final do mês.

 

O cheque especial, por exemplo, é um dos mais famosos. Ele é caracterizado por ser um tipo de empréstimo que não exige contrapartidas do contratante. Entretanto, a sua taxa de juros é renovada diariamente e, em alguns casos, pode chegar a 230% ao ano.

 

Já o empréstimo consignado é popular entre aposentados, pensionistas e servidores públicos. Essa é uma modalidade com juros menores e relativamente acessível. Nesse caso, o pagamento do empréstimo é realizado por meio de descontos mensais na folha de pagamento da pessoa. Portanto, cuidado: apesar da segurança na hora de pagar, você pode comprometer sua renda se não souber escolher o valor das parcelas corretamente.

 

Usando empréstimos pessoais para pagar dívidas

 

crédito pessoal, mais tradicional, é interessante principalmente para autônomos, profissionais liberais e assalariados. Muitas vezes um banco exige apenas um comprovante de renda em contrapartida. Diante disso, a pessoa deve ficar atenta ao fazer essa opção.

 

Esse é um tipo de empréstimo que, assim como o cheque especial, pode sair mais caro do que esperado. Nesse caso, é interessante verificar o máximo de opções possíveis para garantir que você optou pela mais barata. Apesar dos juros mais altos, um empréstimo pessoal pode ser uma boa ideia.

 

Se você estiver pagando uma dívida grande com juros altos, por exemplo, um empréstimo pessoal pode diminuir o seu débito. Caso a taxa de juros seja menor, o dinheiro pode ser utilizado para quitar a dívida mais rapidamente. Assim, você “substitui” a modalidade de empréstimo mais cara por uma mais barata e com melhores prazos de pagamento.

 

O mesmo vale para cartões de crédito. Junto com o cheque especial, esse é um dos serviços com as maiores taxas do mercado. Essa é uma das principais razões para que, após longas temporadas de compras, várias pessoas adquiram grandes dívidas no cartão.

 

Ao efetuar o pagamento mínimo de uma fatura de cartão de crédito, o saldo restante é adicionado à fatura do mês seguinte. Esse valor será incrementado com uma alta taxa de juros, além do IOF. Assim, em pouco tempo, uma dívida pequena pode transformar-se em uma bola de neve.

 

Se esse for o caso, o empréstimo pessoal pode surgir como uma alternativa mais barata e fácil de ser paga. Além disso, ao quitar uma grande dívida no cartão de crédito, você liberará parte do seu limite de crédito rapidamente. Com isso, a compra de um produto em uma situação de emergência será mais fácil e rápida.

 

Crédito estudantil: criando um futuro de sucesso

 

Muitas pessoas sonham em um dia poder entrar em uma faculdade. Como o número de vagas na rede de ensino superior pública é limitado, vários jovens optam pela modalidade privada. Porém, como o pagamento das mensalidades envolve grandes quantias de dinheiro, muitos pensam duas vezes antes de escolher o ensino privado.

 

Com o financiamento estudantil, isso deixa de ser um problema. Essa é uma modalidade de empréstimo com juros menores e prazos de pagamento maiores. Em vários casos, o estudante começa a realizar os pagamentos somente após concluir o curso.

 

Dessa forma, o sonho do diploma do ensino superior pode tornar-se realidade. Dia após dia, mais jovens estão optando pelo financiamento estudantil, que fornece taxas de juros acessíveis e prazos de pagamento flexíveis.

 

Planejando uma saída financeira

 

Como fazer um empréstimo? Qual modalidade escolher? Quando escolher?

 

A busca por uma instituição financeira para a contratação de um empréstimo é algo que assusta muitas pessoas. Popularmente, o empréstimo é associado ao acúmulo de dívidas difíceis de serem pagas e que rapidamente passam a ser a razão de fortes dores de cabeça.

 

Contudo, em um cenário de crise econômica, um empréstimo bem planejado pode ser uma alternativa para quem procura mais flexibilidade financeira. Seja para o pagamento de uma dívida com alta taxa de juros ou a quitação do cartão de crédito, sempre existe uma opção adequada.

 

Você pode optar por modalidades com menores taxas de juros, por exemplo, ou escolher as de poucas contrapartidas. Em todos os casos, pedir um empréstimo para qualquer fim é algo que deve ser feito com planejamento para que você tenha a certeza de que a dívida será paga em dia.

 

E você, já precisou pedir empréstimo? Como foi a experiência? Deixe um comentário!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Dicas para evitar se endividar no final do ano
Por Equipe Organizze
Casamento e dinheiro: os 3 erros financeiros que balançam a relação
Por Equipe Organizze
Como elaborar um orçamento financeiro pessoal?
Por Equipe Organizze
Por que a categorização de gastos é importante?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).