Planejamento financeiro: cinco passos para começar o seu

Escrito por:

Você sabe exatamente o quanto ganha por mês e como tem gastado o seu dinheiro ou faz parte do grupo dos que vêem o dinheiro sumir e não entende o porquê? Se a sua situação financeira está apertada, é provável que você esteja junto com a maioria dos brasileiros que não cuidam das finanças, e isso não é nada bom.

 

Um levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) realizado em todas as capitais brasileiras apontou um dado preocupante: 58% da população não tem o controle da própria vida financeira. E, pior: entre os entrevistados, 17% disseram que recorrem a modalidades de crédito caras, como o cartão de crédito ou o cheque especial, para pagarem as contas do mês.

 

Entre os jovens, a prática é ainda mais comum: para cobrir rombos na conta, 24% recorrem às linhas de crédito com taxas altas, como cheque especial e cartão de crédito, em vez de optarem por empréstimos com juros menores.

 

Se você se identificou com essa situação, precisa mudar a maneira como está cuidando do seu orçamento e assumir, de fato, o controle da sua vida financeira. O processo pode parecer complicado, mas seguindo algumas etapas com dedicação, fica mais fácil.

 

Fazer um bom planejamento das finanças é fundamental para começar a transformar a sua vida financeira. Um bom planejamento te ajudará a entender como funcionam suas finanças pessoais e te ajudará a definir e alcançar os seus objetivos. Não é interessante?

 

A seguir, listamos cinco passos para fazer um planejamento financeiro e levá-lo para o seu dia a dia. Veja:

 

1- Conheça o funcionamento das suas finanças

 

As pessoas têm diferentes maneiras de consumir e organizar o seu dinheiro. Enquanto umas têm mais facilidade para fazer reservas, outras normalmente não resistem às compras por impulso e vêem o dinheiro acabar antes do fim do mês. Para montar o seu planejamento financeiro, faça uma reflexão e seja sincero consigo mesmo. Avalie os seus hábitos de consumo, entenda de que maneira você lida com o dinheiro e quais dificuldades você está enfrentando. Você tem dívidas em atraso no momento? Ainda não possui uma reserva de emergência? Está gastando mais do que ganha? Anotar essas ideias pode ser uma forma de fixá-las com mais facilidade.

 

2- Trace os seus objetivos 

 

Manter-se organizado e focado em sua nova relação com o dinheiro será muito mais fácil se você tiver objetivos e prazos bem definidos. Na hora de traçar seus objetivos, é importante ser bem realista e respeitar as suas possibilidades. Se o seu salário é de R$ 2 mil, por exemplo, não dá para estipular o objetivo de juntar R$ 200 mil em um ano. Pense em planos possíveis de serem alcançados e tente dividir cada um em metas menores, de curto prazo. Se a sua ideia é juntar R$ 3 mil por ano, estipule como meta poupar R$ 250 por mês. 

 

3- Registre suas receitas e despesas 

 

Não dá para fazer um bom planejamento financeiro sem olhar para os números. Primeiro, saiba exatamente qual é a sua receita, que é o quanto você ganha por mês. Se você é um funcionário que trabalha em regime CLT, por exemplo, nada de considerar o seu salário bruto, que está registrado em carteira. Tenha em mente o valor do seu salário líquido, o montante que realmente cai na sua conta – afinal, é com esse montante que você pode contar para pagar as suas despesas. 

 

Acompanhe, também, o quanto você gasta e, principalmente, onde gasta todo mês. Só assim é possível saber onde é possível – e necessário – cortar despesas e economizar. Fique atento aos “gastos invisíveis”, aquelas despesas menores, mas diárias, que consomem uma parcela importante do orçamento sem que você perceba. 

 

Corridas frequentes em aplicativos de transporte, entregas de comida, compra de lanchinhos na rua, multas e juros por atraso no pagamento de contas são exemplos comuns de gastos que parecem inofensivos, mas não devem passar despercebidos. 

 

4- Compare preços antes de fazer compras 

 

Por conta da rotina conturbada, muitos consumidores perderam o hábito de comparar preços antes de fazer uma compra – principalmente ao adquirir itens de menor valor. Além de evitar que você pague mais caro por um produto, pesquisar é uma maneira de evitar as compras por impulso, vilãs da organização financeira. 

 

5- Comece a reservar dinheiro 

 

Sair de um estilo de vida de consumo excessivo e má administração do dinheiro para iniciar o hábito de poupar é um grande passo e exige determinação. Tenha em mente que, para conquistar a sua saúde financeira, é necessário gastar menos do que ganha. Tenha em mente que é preciso economizar um pouco a cada mês até atingir seus objetivos financeiros.

 

Gostou das dicas? Então, é hora de começar o seu planejamento financeiro e viver com mais tranquilidade. 

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Como viver de renda: 6 passos para planejar seu futuro
Por Ana Cláudia Inez
Consórcio, financiamento ou empréstimo: o que compensa mais?
Por Equipe Organizze
4 formas de jogar dinheiro fora
Por Equipe Organizze
Vale a pena optar pelo saque do FGTS?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).