Qual a sua referência nos investimentos? Conheça os principais índices do mercado e compare com sua carteira

Escrito por:

Quando realizamos investimentos, temos sempre como expectativa o crescimento do nosso dinheiro. Esta premissa é igual para todos os investidores. Todavia, para monitorar se de fato estamos  investindo nos melhores produtos e capturando prêmios que façam nosso dinheiro crescer, devemos comparar os resultados alcançados a índices de referência do mercado.

 

De forma simples, os índices funcionam como indicadores de desempenho. Em investimentos, indicam o desempenho de determinada classe de ativos. Em geral, são compostos por uma cesta de ativos com características similares, que formam uma carteira teórica. As variações de todos os ativos que compõem um determinado índice, positivas e negativas, impactam o seu resultado e, assim, o seu comportamento passa a ser a referência (benchmark) para os investidores.

 

Nesse sentido, é importante salientar que existem índices para cada classe de ativos. Por isso, é importante ficar atento às comparações realizadas para que a análise seja justa entre os investimentos.

 

O primeiro índice que devemos monitorar é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que indica a inflação no Brasil. É muito importante acompanhar o comportamento da inflação e comparar com o resultado dos investimentos, para se ter certeza de que o dinheiro está trabalhando para você, ou seja, está crescendo acima da inflação. Só assim haverá um ganho real no poder de compra, permitindo o crescimento patrimonial.

 

Em seguida, o índice considerado como o custo de oportunidade dos investimentos no Brasil é a Taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, que indica o quanto o governo está pagando para pegar nosso dinheiro emprestado. Os títulos públicos federais remunerados com esta taxa são considerados o investimento mais seguro do país e, por esta razão, seriam a primeira opção de investimento para rentabilizar nosso dinheiro.

 

Além disso, observando as diferentes opções de ativos existentes, é possível monitorar o desempenho através dos índices de suas respectivas classes e assim comparar os seus resultados aos nossos investimentos com características similares. Os principais índices são:

 

CDI: é um índice de renda fixa pós, representado por títulos pós-fixados emitidos por instituições financeiras, que lastreiam as operações do mercado interbancário, ou seja, transações entre bancos.

 

IRF-M: é um índice de renda fixa pré, que representa a dívida pública, por meio dos preços a mercado de uma carteira de títulos públicos federais prefixados.

 

IMA-B: é um índice de renda fixa inflação, que representa a dívida pública por meio dos preços a mercado de uma carteira de títulos públicos federais indexados pelo IPCA.

 

IFMM: é um índice de fundos com o objetivo de servir como benchmark para comparação de investimentos exclusivamente em fundos multimercados no Brasil, composto aproximadamente por 100 fundos.

 

IBOVESPA: é o principal índice de ações no Brasil com o objetivo de servir como indicador médio do comportamento das aproximadamente 60 ações mais líquidas negociadas.

 

IBrX-100: é um índice de ações no Brasil com o objetivo de servir como indicador médio do comportamento das 100 ações mais líquidas negociadas.

 

Dólar: é um índice cambial com o objetivo de servir como indicador do valor do dólar contra outras moedas, no caso do Brasil, o real.

 

Quando se trata de investimentos, o ideal sempre é diversificar a carteira e comparar o desempenho de cada ativo com o índice de sua respectiva classe, para identificar se estão alcançando uma boa performance ou não. Diversifique e compare sempre o que é comparável.

 

Planeje e seja feliz!

 

*Renan Lima é graduado em Economia pela Universidade Federal do Espírito Santo, Especialista em Economia Comportamental pela ESPM e Planejador Financeiro CFP®. Atuou no Financial Times Group – Merger Market, em Londres, Inglaterra e Trainee nas Lojas Riachuelo S.A.. Foi membro do Instituto Líderes do Amanhã, Cindes Jovem (entidade sem fins lucrativos do Sistema FINDES), Laboratório Estudar, programa de formação de lideranças da Fundação Estudar e Professor na Fucape Business School, entre as 10 melhores faculdades do país. Atualmente, é sócio da Alphamar Investimentos, Embaixador e membro da Comissão de Advocacy da Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Como viver de renda: 6 passos para planejar seu futuro
Por Ana Cláudia Inez
Consórcio, financiamento ou empréstimo: o que compensa mais?
Por Equipe Organizze
4 formas de jogar dinheiro fora
Por Equipe Organizze
Vale a pena optar pelo saque do FGTS?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).