Quanto custa morar sozinho?

Escrito por:

Sair da casa dos pais e iniciar uma nova fase da vida ao morar sozinho é um marco na vida de qualquer pessoa. Afinal, é neste momento que a maior parte das pessoas se vê responsável, de fato, pela própria vida como um todo.

 

A decisão de morar sozinho é tomada com base nos mais diferentes fatores. Muitos saem de casa para morar mais próximo do trabalho ou da faculdade, outros decidem ir se aventurar em outro estado – ou país. E, claro, há também aqueles que simplesmente acreditam que é o momento certo de ter seu próprio cantinho e a liberdade que tanto desejam.

 

Contudo, por mais piegas que possa parecer, é inegável que, junto com esta tal liberdade que se é conquistada, aparecem também as responsabilidades. Entre elas, o custo de morar sozinho.

 

Saber quanto custa morar sozinho é imprescindível neste momento. E, para ajudar você a conhecer estes números, listamos abaixo alguns custos que fazem parte do dia a dia de quem mora sozinho. Continue a leitura e saiba como se planejar para alcançar este objetivo!

 

As despesas iniciais

 

A primeira coisa que precisa ser considerada quando você pensar em morar sozinho é, com certeza, o custo com as despesas iniciais desta empreitada.

 

Lembre-se que, além de precisar preparar sua própria alimentação, cuidar da casa, fazer compras no supermercado e outras tarefas do dia a dia, você deverá providenciar a estrutura básica para sua acomodação.

 

Por isso, é preciso avaliar o custo do aluguel e da compra dos móveis, eletrodomésticos e outros itens que deverão ser adquiridos para o seu novo lar.

 

O valor do aluguel – quase sempre a maior despesa mensal em se tratando de moradia – é bastante variável. Afinal, ele pode variar de acordo com a localização, tamanho, tipo de imóvel, estado de conservação, etc. Contudo, você sempre deverá escolher um aluguel que caiba no seu bolso.

 

Definida esta questão, é o momento de mobiliar seu novo lar e equipá-lo com o mínimo necessário para lhe oferecer algum conforto no dia a dia. Lembre-se de equipar quarto, sala, cozinha e banheiro com itens de primeira necessidade, que não podem deixar de existir em uma casa. O supérfluo, por outro lado, poderá ser adquirido aos poucos.

 

Os custos fixos

 

Além das despesas iniciais, é preciso inserir no orçamento mensal os custos fixos da casa. Água, luz, telefone e internet, por exemplo fazem parte desta lista. A eles, é possível também inserir o condomínio (quando houver), IPTU, compras no supermercado, entre outros.

 

Tenha em mente que os valores a serem pagos no final do mês poderão até variar, mas serão cobrados mensalmente. E você não poderá escapar deles.

 

O custo com transporte também deve ser considerado nesta etapa. Verifique qual é o custo do trajeto da sua nova casa para o trabalho ou para a faculdade e identifique o quanto você precisará separar todos os meses para pagar esta despesa. Procure listar tudo o que considera importante para o seu dia a dia em serviços mensais e inclua nesta estimativa.

 

Os luxos do dia a dia

 

Um passo além na hora de planejar suas finanças e identificar quanto custa morar sozinho, na prática, é considerar os luxos do dia a dia. Estes “luxos” nada mais são que gastos referentes a produtos e serviços que, na prática, podem ou não fazer parte do seu orçamento.

 

O serviço de TV a cabo, a contratação da diarista e os serviços de lavanderia, por exemplo, são considerados itens supérfluos. Eles trazem benefícios e comodidades, mas impactam nos custos mensais de quem decide morar sozinho.

 

O lazer e a alimentação fora de casa também devem ser considerados. Afinal, se você não tem o hábito de ir a restaurantes com frequência, certamente terá um custo menor com a alimentação ao final do mês.

 

Nem tão sozinho assim

 

Se, no entanto, o seu objetivo é dividir seu novo espaço com alguém, vale a pena tomar todos os custos e dividi-los entre todos os moradores. Esta divisão poderá lhe garantir uma boa economia no longo prazo, mas é preciso atenção.

 

Não se esqueça que morar com alguém é também dividir, além das despesas, as responsabilidades, os espaços e praticar a paciência e o respeito diariamente. Por isso, avalie com cuidado se você está ou não disposto a viver com outra pessoa em um mesmo ambiente.

 

A importância do planejamento

 

Elaborar uma lista com todos os custos que farão parte desta nova etapa da sua vida e ter um bom planejamento financeiro é fundamental para não ter problemas financeiros no futuro. E este é um erro que muita gente comete – e que pode demorar muito para ser consertado.

 

É comum encontrar pessoas que decidem morar sozinhas e que tomam esta iniciativa sem estarem preparados financeiramente para isso. O resultado da falta de planejamento financeiro é, quase sempre, dívidas e dificuldades em pagar as despesas básicas do dia a dia.

 

Portanto, se você tem o objetivo de morar sozinho em breve, comece agora mesmo a listar todas as despesas iniciais, os custos fixos e os possíveis luxos do dia a dia para identificar, de fato, qual será seu custo de vida nesta nova fase de vida.

 

Além disso, é preciso que você se organize de modo a manter algum dinheiro disponível todos os meses. Ter uma reserva de emergência – especialmente se é você o responsável por todos os pagamentos das despesas mensais – é altamente recomendado.

 

Imagine, por exemplo, precisar de algum reparo no imóvel e não ter dinheiro sobrando para esta eventualidade? São inúmeras as situações que podem aparecer ao longo do tempo – e você precisa estar preparado financeiramente para elas, a fim de evitar transtornos financeiros.

 

Dica bônus: organize-se!

 

Uma maneira muito prática de começar a se organizar para morar sozinho e identificar, com maior clareza, os custos desta decisão é utilizar um aplicativo de gerenciamento financeiro pessoal.

 

Com o Organizze, por exemplo, você consegue não apenas se organizar para morar sozinho como também manter suas despesas sempre organizadas após a mudança. Controle suas contas, controle seus cartões de crédito, receba alertas de contas a vencer, estabeleça metas e tenha acesso a relatórios completos em apenas alguns cliques, de qualquer lugar, a qualquer hora.

 

Com organização e planejamento você conseguirá tomar a decisão de morar sozinho na hora certa e dará um passo muito mais assertivo em direção ao seu novo futuro!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Dicas para evitar se endividar no final do ano
Por Equipe Organizze
Casamento e dinheiro: os 3 erros financeiros que balançam a relação
Por Equipe Organizze
Como elaborar um orçamento financeiro pessoal?
Por Equipe Organizze
Por que a categorização de gastos é importante?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).