Três dicas para escolher uma previdência privada

Escrito por:

Num momento em que o país tem estudado novas regras para a previdência. Muitos tem buscado uma maior segurança nas previdências privadas. E é nesse momento que surge a dúvida: PGBL ou VGBL?

 

Para quem não conhece, estes são os dois tipos de plano de previdência, em que sua principal diferença é a forma como o Imposto de Renda incide sobre os rendimentos do investimento. No PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) é possível você descontar do cálculo do IR todo o valor que você investir no plano, limitado a 12% da sua renda. Em contrapartida, quando você for usufruir deste dinheiro, todo o valor será tributado. Resumindo, você não paga IR quando investe, mas pagará IR quando fizer o resgate dos recursos.

 

Já o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres) não é possível descontar os recursos investidos no plano da base de cálculo do IR, mas no momento do resgate o imposto só será calculado apenas sobre os rendimentos, e não do valor total do benefício, como acontece no PGBL.

 

Desta forma podemos destacar três dicas para te ajudar na escolha do plano:

 

1. Nunca escolha o PGBL se você não fizer a declaração completa do IR

 

Pois se você optar por este plano e não conseguir abater este valor da base de cálculo, você estará pagando o IR em duplicidade (no momento do investimento e no momento do resgate);

 

2. Cuidado para não investir mais de 12% da sua renda em PGBL

 

Pois tudo aquilo que você investir a mais estará sendo tributado em duplicidade;

 

3. Economize no imposto investindo em PGBL

 

Para aqueles que pagam 15% ou mais de IR, e fazem a declaração completa do imposto. Uma das formas de economizar nesta hora é investindo em PGBL com a tabela regressiva (quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, menor será o imposto). Pois se num primeiro momento você pagaria 15% ou mais dos seus ganhos durante o ano, através do PGBL pagará apenas 10% se o dinheiro ficar investido por mais de 10 anos.

 

Para ajudar na compreensão, vamos utilizar o exemplo de um profissional liberal que declarou uma renda anual de R$ 100.000,00. Se ele pagasse o IR na integra, a sua DARF seria de R$ 17.197,30. Todavia ele optou por investir R$ 1.000,00 por mês em PGBL (R$ 12.000,00 no ano). Desta forma a base de cálculo reduziu para R$ 88.000,00, e consequentemente sua DARF será de R$ 13.897,13. Uma redução de R$ 3.300,00 de imposto.

 

Todavia este profissional ainda irá pagar IR sobre os R$ 12.000,00 investidos em PGBL, quando for resgatar o benefício. Se o tempo de investimento for maior que 10 anos, a alíquota que será paga sobre os R$ 12.000,00 será de 10%, gerando um imposto de R$ 1.200,00. Neste caso, apenas pelo fato deste profissional ter investido 12% da sua renda em PGBL gerou uma economia de R$ 2.100,00 de IR.

 

Forte abraço! Até mês que vem.

 

*Luiz Roberto é um administrador apaixonado por finanças que desde 2014 expõe suas ideias através do blog Dificuldade Financeira. O projeto cresceu e em 2016 iniciou sua carreira como instrutor na Udemy.com publicando cursos sobre finanças pessoais.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Aprendendo finanças na prática
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
O que é independência financeira? Veja 4 dicas para alcançá-la
Por Ana Cláudia Inez
Vale a pena adiantar parcelas de um empréstimo?
Por Equipe Organizze
Desempregado: descubra 5 coisas que você não pode fazer (de jeito nenhum)
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).