Vale a pena pedir um empréstimo mesmo com a alta dos juros?

Escrito por: - Publicado em: 04/08/2021

A necessidade de dinheiro extra nem sempre pode esperar. Algumas urgências ou emergências vão demandar também acesso mais rápido ao crédito, para resolver a situação. Mas será que realmente vale a pena solicitar um novo empréstimo, mesmo com a alta dos juros?

 

Saiba como obter o valor necessário e avaliar as opções para não ter prejuízos.

 

Como ficam os empréstimos com a alta dos juros?

 

Com a previsão de alta da Selic, isso é o mesmo que dizer que o custo do dinheiro também ficará mais caro. Em outras palavras, tanto os financiamentos quanto os empréstimos devem subir ainda mais.

 

A taxa referencial básica regula, entre outros índices, o que as instituições financeiras cobram ao oferecer dinheiro ao mercado. Quanto maior o risco de uma modalidade, maior a taxa de juros associada.

 

Neste contexto, comparar ofertas de crédito se torna uma tarefa indispensável na busca por propostas mais vantajosas. Mas não só isso.

 

Quem já tem uma dívida em andamento, eventualmente poderá ver o saldo devedor ser atualizado. Isso acontece porque, em muitos casos, as taxas de juros não são pré-fixadas como é o empréstimo consignado.

 

No geral, as linhas de crédito têm taxas de juros pós-fixadas e, a depender do sistema de amortização, o valor final também é alterado e sofre a incidência de baixa ou alta.

 

Isso é bem comum no financiamento habitacional, por exemplo, onde as tabelas variam entre SAC e Price e índices específicos como o INCC (Índice Nacional da Construção Civil).

 

Mais um ponto relevante e que nem sempre é levado em consideração são os juros do chamado crédito rotativo. Ao efetuar o pagamento parcial de uma dívida do cartão de crédito, por exemplo, o saldo aberto também é reajustado. Ou seja, você pagará a mais.

 

Então, o que fazer para evitar se endividar mais?

 

3 dicas essenciais para encaixar o empréstimo no seu orçamento

 

Para garantir boas condições na contratação de um empréstimo pessoal, mesmo em tempos de alta dos juros, vale seguir algumas dicas básicas:

 

1 – Planeje seu empréstimo

 

Além de sempre comparar as alternativas entre linhas de crédito e instituições financeiras, o ideal sempre que possível, é claro, é planejar a nova dívida.

 

Como normalmente são dívidas de longo prazo, é preciso ter uma organização financeira mínima. Mesmo que as parcelas sejam pagas mensalmente e diluídas pelo tempo de duração do contrato, é preciso lembrar que esse valor será desembolsado.

 

Não faça uma dívida para pagar em muitos meses, sem necessidade. Faça as contas para entender o valor de parcela que caberá em seu bolso.

 

Lembre-se: dívidas com prazos maiores tornam as parcelas menores. As taxas de juros também vão corresponder com o prazo escolhido.

 

2 – Troque a dívida maior, por uma menor

 

Outra recomendação é trocar uma dívida mais cara por uma mais barata. Usar parte do valor ou o valor total solicitado para pagar uma dívida antiga ou que tenha juros maiores, pode ser uma boa solução.

 

Entram nesta lista o cartão de crédito e o cheque especial. Faça o exercício: compare o Custo Efetivo Total, ou CET, de todas as suas dívidas. Você provavelmente vai se surpreender ao descobrir quanto é pago efetivamente.

 

3 – Mantenha os pagamentos em dia

 

Se você tem muitos empréstimos e contas ao mesmo tempo, vale anotar os vencimentos. Ao utilizar o Organizze, você terá todas as informações necessárias na palma da sua mão.

 

Isso se faz necessário para não pagar taxas, tarifas ou encargos adicionais como multas ou juros por mora.

 

Vale lembrar ainda que, ao fazer uma reserva de emergência, muitas vezes você nem precisará de um empréstimo. O principal ponto aqui é ter a disciplina quanto ao uso e a solicitação de crédito.

 

Ao precisar de um valor extra, siga essas dicas. Dessa forma, você conseguirá concluir seu objetivo, mas sem abrir mão da saúde financeira.

 

A alta dos juros não deve ser passageira já que, de uma forma ou de outra, ajuda a estimular a economia. Portanto, mais uma vez, saber lidar com o que você ganha e gasta e passar a ter mais controle sobre sua vida financeira é fundamental.

 

Por Danielle Vieira | Apaixonada por marketing, descobriu os números e finanças ao longo do caminho e, decidiu ajudar as pessoas através da educação financeira. Hoje faz isso atuando no marketing da bxblue, fintech acelerada pela Y Combinator e escrevendo em alguns portais.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Os 6 benefícios da Lei do Superendividamento
Por Equipe Organizze
Como fazer a portabilidade de crédito?
Por Equipe Organizze
Como manter as dívidas dentro do orçamento?
Por Equipe Organizze
Quanto da renda mensal pode ser comprometido com empréstimos?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).