Você acha R$100 pouco?

Escrito por:

No caminho até chegar ao meu escritório existe uma rua extremamente íngreme. E no primeiro dia, lembro de olhar para ela e pensar: “Ah, subir isso aí vai ser moleza! Estou indo na academia todos os dias mesmo, vou tirar de letra”.

 

Resultado? Cheguei aquele dia no escritório ofegante, mal conseguia falar e com suor por todo o meu rosto. E eu achando que estava super em forma!

 

Ao invés de me sentir mal com isso, enxerguei aquele pequeno momento do meu dia como um novo desafio.

 

Era uma situação que inevitavelmente ia se tornar parte da minha rotina. Afinal, eu teria que ir para o escritório todos os dias mesmo. E na minha cabeça, eu já sabia que a cada dia ia ficar mais fácil, pois é assim que funciona o processo de desenvolver um hábito. A gente começa com dificuldades, mas com esforço e prática diária, a gente vai percebendo uma melhora gradativa.

 

Nos dias seguintes, quando eu chegava até a tal rua, logo pensava no desafio.

 

No primeiro dia, como eu já contei a você, eu quase morri. No segundo dia também. E no terceiro foi a mesma coisa…

 

“Poxa Fran, mas você não disse que sabia que ia melhorar ao longo do tempo?”.

 

Sim, eu sabia. Mas eu também sabia que ia precisar de um tempo maior para desenvolver esse novo hábito e melhorar a minha forma física para subir a rua sem ficar ofegante e aparentemente cansada. Apenas 3 dias não era tempo suficiente para já ver resultados. Eu tinha que persistir…

 

Algumas pessoas querem tudo para ontem. E quando isso não acontece, elas se frustram com a vida… Mas vamos falar mais sobre isso outro dia, ok?

 

Voltando a minha história, quando completou a terceira semana do “meu desafio”, eu já estava subindo a rua falando no telefone! O que era impossível antes, de tão ofegante que eu ficava.

 

Todo começo é difícil. Nada que eu decidi começar na minha vida foi fácil, e digo isso tanto para exemplos mais simples, como me desafiar a subir uma rua íngreme sem ficar ofegante, quanto para objetivos maiores, como poupar boa parte da minha renda para alcançar minha independência financeira.

 

Quando alguém diz para mim: “Ah Fran, eu não tenho muito dinheiro para investir, apenas R$100 por mês”. Essa pessoa acha que tem pouco, mas ela tem um potencial nas mãos.

 

E assim como na minha história, todo começo é difícil. Quando você começa, os resultados levam um tempo para aparecer, e é nessa parte em que muitos desistem.

 

Exemplo

 

“Uma pessoa acha que não tem problema gastar R$4,00 todos os dias na hora do almoço para comprar uma bebida, são apenas R$4,00, poxa!”.

 

Eu também acho que R$4,00 não é um valor tão significativo, mas isso só vale quando estamos olhando para um único dia na sua vida.

 

Agora veja o que acontece quando pensamos a longo prazo:

 

→ R$4,00 x 5 dias na semana = R$20

→ R$20 x 4 semanas = R$80

→ R$80 x 12 meses = R$960

 

Quase mil reais por ano gastos somente em uma inocente bebida de R$4,00 na hora do almoço. Dá para acreditar?

 

Essa é a prova de que o “pouquinho” pode fazer diferença.

 

Eu vejo nas pessoas uma enorme falta de paciência. Elas sempre tem argumentos como: “Ah, mas se eu for pensar assim, eu vou ter que esperar 12 meses para que isso aconteça? Não quero esperar tudo isso não, quero algo que funcione pra ontem.” Cá entre nós, fórmula mágica não existe.

 

O que você tem que ter em mente é: o tempo vai passar de qualquer jeito e você pode decidir começar hoje, para ter um amanhã mais próspero.

 

Você já reparou como a gente vive se arrependendo de algumas coisas quando olhamos para o passado? Pensamos que poderíamos ter economizado mais, não ter comprado aquela tal coisa e se tivéssemos começado poupar lá trás, talvez estivéssemos numa situação melhor agora.

 

Mas aquele tempo já passou e não vai ser recuperado.

 

Não adianta nada pensar que se você tivesse poupado R$100 por mês nos últimos 5 anos você teria acumulado R$8.037,01 (valor que aplicado em um rendimento 12% a.a, renderia R$2.037,01 só de juros!). E se fossem 10 anos, você teria acumulado R$22.210,41

 

Comece a amar essa palavra: juros compostos.

 

Esses valores são para te mostrar que mesmo o valor de R$100 que você jura não ser muito hoje, amanhã pode engordar a sua poupança.

 

“Ah, ok. Mas aí eu vou ter que esperar 10 anos?”.

 

Bom, o tempo vai passar de qualquer jeito. Você prefere chegar lá com ou sem dinheiro? Acho que nem precisa responder…

 

Toda vez que você pensar em dinheiro, pense sempre a longo prazo, esqueça o curto prazo.

 

A curto prazo os valores nunca são muito interessantes. A não ser claro, que você seja uma pessoa que consiga poupar valores altíssimos, mas nós sabemos que essa não é a realidade da grande maioria da nossa população.

 

Muita calma, pois eu tenho mais uma simulação que vai abrir seus olhos ainda mais. Principalmente se você dispõe de pelo menos R$100 para poupar durante os próximos meses.

 

Vamos fazer uma simulação para os seus próximos 12 meses

 

Se você começar a poupar hoje R$100 do seu salário + R$4,00 da bebida do almoço (5x na semana), você consegue acumular em 12 meses a quantia de R$2.160 + R$67,79 (rendimento estimado de uma aplicação na poupança que rende cerca de de 7% a.a), totalizando R$2.227,79.

 

Esse não é nenhum um valor absurdamente alto, concordo. Mas cá entre nós, você dispõe desse valor na sua poupança hoje?

 

Se sim, ótimo! Você já está no caminho certo e tem tudo para alcançar ainda mais.

 

Se não, hoje você ganhou um ótimo incentivo para começar a enriquecer sua poupança, mesmo que aos pouquinhos.

 

Vale lembrar…

 

Todos os valores e simulações feitas hoje são para te orientar sobre qual caminho seguir.

 

Agora você vai pegar os exemplos desse e-mail e aplicar a sua realidade.

 

Se você conseguir poupar mais do que os valores mostrados, ótimo! Não fique se baseando no básico, pense mais longe.

 

Se você consegue poupar menos, não tem problema. Esse não é um motivo para não começar, ok? Toda quantia é válida, o importante é adquirir o hábito e construir reservas.

 

*Fran criou o blog Morando Sozinha em 2012 e desde então compartilha lá suas dicas e experiências sobre uma vida independente.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

8 taxas que você precisa conhecer antes de investir
Por Ana Cláudia Inez
Filmes indispensáveis para quem quer inovar
Por Instituto Acelere
Poupar dinheiro ou só se vive uma vez?
Por Equipe Organizze
5 coisas que te sugam financeiramente e você nem percebe
Por Equipe Organizze
Organizze
Experimente o poder de ter suas finanças sempre em ordem

Cadastre-se GRÁTIS no Organizze, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).