5 passos essenciais para sair das dívidas!

Escrito por:

Estamos no início de 2018, um excelente momento para planejar e estabelecer os nossos objetivos neste ano novo. Um deles, certamente, é sair das dívidas. Ninguém se sente confortável e dorme tranquilo tendo dívidas, principalmente no Brasil, onde as taxas de juros são altíssimas. Ficamos acordados de madrugada, pensando no que fazer para sair da situação de devedor para poupador. O importante é dar o primeiro passo, ter confiança e saber que é possível. Siga os passos abaixo e faça deste ano, o ano de sua virada.

 

Levante todas as dívidas

 

A primeira tarefa que devemos fazer é levantar todas as dívidas. Pode ser um processo trabalhoso, mas é necessário para temos consciência e clareza da situação atual e tomar as melhores decisões. Portanto, liste todas as dívidas, reunindo as seguintes informações: saldo devedor, parcelas mensais, prazo para quitação e o custo efetivo total (CET), taxa que considera todos os encargos e despesas incidentes nas operações de crédito. Com todas essas informações, será possível saber o saldo total atualizado e o quanto é direcionado mensalmente para o pagamento de dívidas.

 

Uma ferramenta que pode ser útil para reunir parte das informações é o Registrato. O Registrato é um sistema gratuito administrado pelo Banco Central do Brasil que permite aos cidadãos acessar, pela internet, de forma rápida e segura, relatórios contendo informações sobre seus relacionamentos com as instituições financeiras e sobre suas operações de crédito. Assim, você terá acesso consolidado a todas as operações de crédito efetuadas em seu CPF. Acesse pelo site: http://www.bcb.gov.br/?REGISTRATO

 

Levante o seu orçamento

 

Conhecendo todas as suas dívidas e o quanto direciona mensalmente para o seu pagamento, resta saber qual o impacto em seu orçamento e analisar para onde está indo o restante do dinheiro. Registre tudo. É fundamental ter o seu fluxo de caixa organizado e separado por diferentes categorias (moradia, educação, saúde, compras, dívidas etc.). Tendo esses dados, é possível avaliar eventuais mudanças e partir para o planejamento do orçamento, definindo o que será destinado para a quitação das dívidas.

 

Planeje o seu orçamento

 

Ter um orçamento é definir para onde o seu dinheiro deve ir, ao invés de se perguntar para onde ele foi. Ao planejar o orçamento, devemos priorizar o pagamento das dívidas e deixar um espaço para investimentos. Portanto, verifique os “ralos” e sempre se pergunte: “Isso realmente é importante para mim?”. Corte tudo aquilo que não for e, ao final, veja quanto do orçamento poderá direcionar mensalmente para o pagamento das dívidas. Quanto maior for a parcela, em menos tempo a dívida será quitada, possibilitando, mesmo que pouco, o inicio de uma poupança. O ato de poupar e constituir uma reserva trará mais tranquilidade, em caso de emergências, e mostrará que é possível sim ser um poupador.

 

Pesquise as taxas de mercado e a viabilidade da portabilidade ou de um novo empréstimo

 

Sabendo o saldo devedor e custo efetivo total (CET) de todas as dívidas, pesquise junto a diferentes instituições as taxas praticadas, no prazo de quitação equivalente ao atual, e a viabilidade da portabilidade do crédito ou de um novo empréstimo em seu nome. Caso as taxas de mercado sejam inferiores ao CET da sua dívida, uma opção será pegar um novo empréstimo, mais barato, para quitar o atual, mais caro.

 

Para pesquisar a viabilidade de um novo empréstimo e as taxas junto aos bancos tradicionais e Fintechs especializadas, acesse o Radar Fintechlab para conhecer algumas delas: http://fintechlab.com.br/. Além disso, é possível conhecer as taxas de juros de operações de crédito praticadas no Brasil, através do site do Banco Central: http://www.bcb.gov.br/pt-br/#!/c/TXJUROS/

 

Renegocie as dívidas, faça a portabilidade do crédito ou pegue um novo empréstimo

 

Uma vez que você já sabe o quanto do orçamento mensal pode direcionar para o pagamento das dívidas, as taxas de juros praticadas pelo mercado e a viabilidade da portabilidade do crédito ou de um novo empréstimo, chegou a hora de decidir qual estratégia adotar. Inicialmente, você pode renegociar com as atuais instituições uma adequação do empréstimo, frente às condições de pagamento disponíveis (orçamento) e as taxas praticadas no mercado. Caso não consiga melhores condições, deve partir para a portabilidade do crédito ou um novo empréstimo, em uma nova instituição para quitar o mais caro.

 

Cumprindo os passos acima, tenho certeza de que este ano que se inicia será o ano da virada, com uma vida financeira organizada e mais qualidade de vida. Planeje e seja feliz!

 

*Renan Lima é sócio da Alphamar Investimentos, graduado em Economia pela Universidade Federal do Espírito Santo e Planejador Financeiro CFP®. Embaixador no Espírito Santo da Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros). Membro do Cindes (Federação das Indústrias do Espírito Santo), Instituto Líderes do Amanhã e Laboratório Estudar, programa de formação de lideranças da Fundação Estudar. Também atuou no Financial Times Group – Merger Market – em Londres, Inglaterra, e foi Trainee nas Lojas Riachuelo S.A.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Vale a pena adiantar parcelas de um empréstimo?
Por Equipe Organizze
Como saber se um empréstimo é a melhor escolha para sair das dívidas?
Por Equipe Organizze
Como quitar dívidas do cartão de crédito em 6 passos
Por Equipe Organizze
Como trocar uma dívida mais cara por uma mais barata?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).