A solução definitiva para sair das dívidas: o guia completo

Escrito por:

Se você, assim como milhares de brasileiros, sonham em sair do vermelho e se livrar das dívidas, a hora é essa!

 

O Blog da Rico garante que é possível sim sair das dívidas até quando se ganha pouco. Pegue caneta e papel, mantenha os pés no chão e diga adeus as dívidas!

 

Como sair das dívidas (mesmo ganhando pouco)

 

Com o aumento do desemprego, as pessoas começaram a observar sua renda cair substancialmente. Por conta da baixa oferta de trabalho, os brasileiros precisaram aceitar colocações com salário abaixo das pretensões e do que era necessário para a manutenção do padrão de vida.

 

Muitas pessoas, mesmo observando as dificuldades do momento não conseguiram rapidamente ajustar o padrão de vida. Não é fácil abrir mão de alguns luxos – e, por conta disso, com a renda menor, a saída para muitos foi buscar linhas de crédito e empréstimos.

 

Os altos juros das linhas de crédito disponíveis com maior facilidade (cartão de crédito e cheque especial) ganharam destaque e, rapidamente, as dívidas acabaram crescendo e “tomando de assalto” muitas famílias brasileiras.

 

Sair do vermelho se tornou mais do que uma necessidade; se tornou a única forma de conseguir sobreviver a esse período de grandes dificuldades.

 

Quem ganha pouco, precisará abrir mão daquilo que não é indispensável para a sobrevivência nesse período. Buscar uma renda extra também é uma saída importante para quem quer quitar as dívidas e limpar seu nome no SPC ou SERASA.

 

Limpar o nome, expressão usada por quem está com o nome sujo, ou seja, com restrições de crédito, deve ser uma das prioridades.

 

Está claro, que por meio de um planejamento bem executado é possível sair das dívidas, mesmo ganhando pouco.

 

Uma bola de neve: não deixe suas dívidas para amanhã

 

Muitos preferem não assumir que possuem problemas financeiros e preferem tentar fugir dos problemas. O pagamento de dívidas é crucial para que um pagamento não realizado não se transforme em algo que irá te acompanhar durante muitos e muitos anos.

 

Recentemente, o Banco Central começou a dar mostras de que viveremos uma trajetória de queda dos juros, o que é bastante positivo. Ainda assim, quando falamos dos juros praticados pelas instituições financeiras e seus produtos de crédito, os números são preocupantes.

 

A melhor opção para sair do vermelho é buscar um acordo com seus credores. Lembre-se que se você tem interesse de pagar, o credor tem ainda mais interesse em receber.

 

Para que a dívida não se torne uma bola de neve e para que você descubra uma forma de liquidar a dívida, o melhor será buscar uma negociação que esteja de acordo com suas condições e seja justa para seu credor. Tome sempre a iniciativa.

 

Saiba qual o valor total de suas dívidas

 

Para buscar uma forma de ajustar as contas e uma boa negociação com os credores, a primeira atitude que precisa ser tomada é botar ordem na casa. Afinal, como conseguir alternativas quando não entendemos ou mesmo sabemos qual o tamanho da dívida? Impossível!

 

Saber o valor total das suas dívidas é crucial, saber quais os produtos de crédito contratados e suas taxas de juros é também importante.

 

Talvez no primeiro momento, por conta do orçamento apertado, não se tenha o dinheiro necessário para pagar todas as dívidas de uma só vez, por isso é importante conhecer todos os detalhes possíveis e priorizar o pagamento das dívidas com juros maiores e que podem rapidamente sair do controle.

 

Organize todas as suas finanças pessoais

organização das finanças é crucial, não só nesse momento de dificuldades com as dívidas, mas sempre. É muito importante conhecer o orçamento doméstico e trabalhar com ele para respeitar os limites de gastos e também definir como pagar suas dívidas sem comprometer o pagamento das demais despesas da casa.

 

 Mantenha o controle total dos seus gastos: crie metas!

 

Um dos principais pontos do planejamento financeiro é manter o controle dos gastos. Ainda hoje muita gente utiliza a contabilidade mental como única maneira de controlar a vida financeira.

 

Para alguns, isso pode até funcionar por algum tempo, mas, via de regra, nossa cabeça vai nos pregar uma peça, principalmente quando decidirmos fazer algum tipo de financiamento e batermos na tecla das parcelas que cabem no bolso.

 

Cuidado! Várias pequenas parcelas, aparentemente inofensivas quando olhadas individualmente, somadas têm um poder de destruição enorme.

 

Comece a criar metas de consumo e trabalhe-as com seu orçamento de forma inteligente. Se você tem alguma dúvida, comece priorizando a redução dos gastos fixos e faça de seu planejamento uma arma que responderá como se livrar das dividas, como sair do vermelho.

 

Clique no botão abaixo para continuar lendo a matéria.

Leia mais
Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Como viver de renda: 6 passos para planejar seu futuro
Por Ana Cláudia Inez
Consórcio, financiamento ou empréstimo: o que compensa mais?
Por Equipe Organizze
4 formas de jogar dinheiro fora
Por Equipe Organizze
Vale a pena optar pelo saque do FGTS?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).