Casar e iniciar a vida a dois sem contrair dívidas: é possível?

Escrito por:

Quem diz que sonho não tem preço, está muito enganado! Mas com planejamento, tudo é possível. E o casamento se encaixa neste quesito. Conversamos com Reinaldo Domingos, doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira, que deu dicas preciosas para começar a vida de casado sem as famosas e temidas dívidas.

 

1. Planejar é preciso

 

Com um bom planejamento, o casal poderá fazer reserva e conseguir boas negociações com os fornecedores de casamento. “O casamento pode ser considerado um sonho de médio prazo, a ser realizado entre um e dez anos, portanto o casal contará com o tempo a seu favor para se preparar e poupar dinheiro. Dispondo de reserva, é mais fácil negociar valores, pedir bons descontos e não entrar em dívidas que se arrastarão pelos primeiros anos da vida a dois.”, explica Reinaldo.

 

Como planejar? Segundo o educador financeiro, o casal precisa fazer um diagnóstico financeiro individual e anotar os gastos de 30 dias. Assim saberão como e quanto gastam com cada item, e se sobra dinheiro para a poupança do casamento.

 

A conta que Reinaldo indica, após esse período é: Ganhos (-) Sonhos (-) Gastos.

 

2. Pesquisar é fundamental

 

A variação de preços no mercado de casamento é muito grande. Portanto, quanto melhor souber quanto custa cada item, maior poder de barganha e negociação você terá. “A orientação é que façam no mínimo três orçamentos com fornecedores diferentes para todos os itens que desejarem, tantos os grandes quanto os pequenos, como buffet, banda ou DJ, docinhos, enfeites, tudo.”, indica o educador financeiro.

 

3. Que tal colocar a mão na massa?

 

Uma boa alternativa, segundo Reinaldo, é colocar a mão na massa e produzir com a ajuda de alguns familiares os itens do casamento, os famosos DIY (faça você mesmo). Isso irá reduzir bastante os custos.

 

4. É preciso ter conversa entre o casal

 

Você sabia que dentre as maiores causas de separações de casais estão as brigas financeiras? É claro que você não quer que seu relacionamento seja abalado por este motivo. O melhor a fazer, segundo o especialista, é conversar e ser sincero sobre os sonhos, prioridades, gastos e investimentos, “É imprescindível que o casal mantenha um bom diálogo, com honestidade, em relação a tudo, inclusive às finanças.”

 

“Para conquistar esses sonhos, é importante que façam um diagnóstico financeiro individual após o casamento, anotem a renda de cada um e definam como farão a poupança para os sonhos e o pagamento das despesas do casal e da casa. Com salários diferentes, um mais alto e outro mais baixo, é importante conversar se a divisão será proporcional à renda de cada um, se um vai investir para os sonhos e o outro vai arcar com as despesas mensais, enfim, a definição varia de casal para casal. Assim, o orçamento familiar passa a ser pensando em conjunto.”, continua Domingos.

 

5. É possível sim conquistar a casa própria

 

Com planejamento tudo é possível! Afinal, “quem casa, quer casa“, não é mesmo? E você deve separar seus gastos e investimentos de acordo com os sonhos e o tempo a realizar. “É interessante que o casal tenha no mínimo três: um de curto prazo (a ser realizado em um ano), outro de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (a ser realizado a partir de dez anos).”, explica Reinaldo.

 

6. Mantenha uma reserva de dinheiro para emergências

 

Não adianta gastar tudo o que ganha e se endividar em sonhos se suas condições não permitem. Antes de efetivar um financiamento ou parcelamento, é preciso que se tenha uma reserva para emergências. “É muito importante que o casal tenha uma reserva para imprevistos ou para seus sonhos de longo prazo, como ter uma aposentadoria sustentável sem depender de familiares, amigos ou precisar continuar trabalhando após o aposento.”, completa o educador.

 

7. Mini Wedding pode ser uma saída

 

Às vezes não conseguimos realizar nossos sonhos como imaginávamos, como é o caso do casamento. Mas que tal ter a experiência com poucos amigos, em uma festa mais intimista e agradável? O Mini Wedding pode ser uma opção neste caso.

 

Mas não caia nas tentações, conforme explica o especialista: “Essa pode ser uma opção, já que o número de convidados é reduzido, porém isso não é garantia de que os gastos serão menores. É imprescindível fazer bons orçamentos, buscar os melhores preços e condições de pagamento, focando na economia. Afinal, o desejo de agradar os convidados e de fazer uma festa marcante pode levar a gastos exorbitantes, independentemente do número de convidados.”, finaliza.

 

Dica: A Central do Evento separou uma lista de fornecedores para casamento que podem te ajudar a realizar esse sonho.

 

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

5 motivos para gerenciar seu dinheiro com um app de gestão financeira
Por Equipe Organizze
Como organizar as finanças do casal sem brigas
Por Equipe Organizze
NuConta, a conta digital do Nubank, vale a pena?
Por Equipe Organizze
Por que as taxas de juros do empréstimo pessoal variam tanto?
Por Equipe Organizze
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).