Entenda a importância de definir seu perfil de investidor

Escrito por:

Existem diversas possibilidades para investir seu dinheiro. Aplicá-lo na poupança, comprar títulos do tesouro direto ou investir na Bolsa de Valores são alguns exemplos. Escolher a Bolsa de Valores é uma decisão que exige preparo e estudo. O ideal é que, antes de fazer qualquer tipo de investimento, você realize uma análise para determinar qual o seu perfil de investidor.

 

Optar pela Bolsa é sinônimo de que você deseja obter uma rentabilidade superior às demais opções de investimento no mercado e, ao fazê-lo, é esperado que você esteja ciente dos riscos que poderá correr em troca da possibilidade de ganhos mais volumosos.

 

Para começar a investir no mercado de ações, um formulário para definir o perfil de investidor pode ser opcional ou obrigatório (e isso é imprescindível para que os investimentos estejam de acordo com o esperado pelo investidor). Mas você sabe o que é esse perfil e qual a importância de defini-lo?

 

Aprenda neste post a importância de definir em qual perfil se enquadra e como isso pode impactar seus investimentos.

 

O que é perfil de investidor?

 

O perfil de investidor é uma classificação de características financeiras que o investidor está apto a aceitar, como riscos que você está disposto a correr. É fundamental definir o seu antes de entrar nesse mercado, pois é a partir dele que você deve direcionar seus investimentos.

 

Ele permite que faça as escolhas certas, reduzindo as chances de perder dinheiro. Muitas pessoas começam a investir no mercado de ações e, sem o devido preparo, selecionam papéis com bastante potencial de rendimento em longo prazo. Porém, como não têm conhecimento sobre o mercado e muito menos sobre seu perfil de investidor, vendem suas ações com ganhos inferiores, sofrendo perdas financeiras em algumas situações.

 

Esse é um dos motivos que mostram a importância saber qual o seu perfil. Ao ter em mente as pretensões de ganho e risco que está disposto a correr, será mais fácil que tenha sucesso em seus investimentos, tomando decisões mais rentáveis que possibilitarão a você um futuro de riqueza.

 

O risco interfere na definição?

 

Risco, de acordo com o dicionário, é “a probabilidade de insucesso de determinado empreendimento, em função de acontecimento eventual, incerto, cuja ocorrência não depende exclusivamente da vontade dos interessados.”.

 

No âmbito dos investimentos, o risco é um grau de incerteza de que o seu retorno será o esperado ou não. Quanto maior o risco de uma ação, maior poderá ser seu retorno. O lucro é uma compensação do risco de perder dinheiro.

 

O perfil de investidor está totalmente ligado aos riscos de investimentos. Por exemplo, aqueles que investem em renda fixa (poupança, tesouro direto, LCI, CDB, entre outros) são pessoas mais conservadoras, pois preferem correr menos riscos, mesmo que os rendimentos sejam menores.

 

Como é de se esperar, investir em ações é muito mais arriscado do que os aportes em renda fixa. Dependendo da ação comprada, você pode conseguir vendê-la na próxima vez com uma rentabilidade de 10%. Porém, é necessário estar preparado para um risco de perda em 35%, por exemplo. Por essas e outras, pessoas que investem em renda variável possuem perfis mais arrojados e agressivos.

 

Quais são os perfis de investidor?

Há pelo menos três variações de investidores, conforme metodologia de classificação criada pelos bancos e mercados de investimentos, que têm por base o tipo dos produtos que integram as carteiras de aplicações, representando o grau de tolerância ao risco de quem está investindo. As três categorias são: Conservador, Moderado e Arrojado.

 

→  Conservador

 

Os conservadores são investidores que têm aversão ao risco financeiro. A grande maioria dos que se encontram nesse grupo são pessoas que estão habituadas a economizar dinheiro e possuem algumas convicções e costumes. Esse tipo de indivíduo é o sonho dos gerentes de banco, pois eles são os principais responsáveis pela compra dos títulos de capitalização.

 

Esse fato faz com que os conservadores sejam extremamente favoráveis à Caderneta de Poupança, mesmo sabendo da sua baixa rentabilidade. A segurança atrelada ao tipo de investimento é o fator primordial para esse perfil de investidor.

 

É válido lembrar que os conservadores investem grande parte do seu capital (cerca de 80% a 90%) em renda fixa. Algumas pessoas optam ainda por investir em ações de grandes empresas na Bolsa de Valores, devido à sua estabilidade e capacidade de gerar lucros.

 

→ Moderado

 

​Os moderadores são investidores que aceitam assumir um risco maior que os conservadores. Uma característica interessante desse perfil é saber ouvir. Apesar disso, eles precisam de certo tempo para entender as novidades do mercado e decidir apostar, mas, ao menor sinal de vulnerabilidade, eles retornam aos investimentos seguros.

 

Esse perfil tem o costume de fazer aplicações em renda fixa e variável numa porcentagem considerável, buscando sempre a maior rentabilidade possível. Normalmente eles investem 50% em renda fixa e 50% em renda variável, possuindo assim um portfólio bem diversificado.

 

A grande vantagem da diversificação, aliada à sensibilidade em relação à insegurança, faz com que os investidores desse perfil façam ótimas escolhas, obtendo assim resultados satisfatórios (em médio e longo prazo). O foco do investimento deles são os CDB’s, Tesouro Direto, Previdência Privada e, eventualmente, ações de empresas de 1ª linha (que costumam compor suas carteiras).

 

→  Arrojado

 

Esse grupo é formado por investidores que possuem, em predominância, investimentos de renda variável (ações, moedas estrangeiras, fundos imobiliários, entre outros). As pessoas que se encaixam nessa categoria são consideradas profissionais e possuem rentabilidade bem acima da média.

 

Os altos índices de rentabilidade vêm associados aos altos riscos. Ser um investidor arrojado demanda preparo técnico e tempo disponível para acompanhar o cenário econômico. É necessário também muito sangue frio, pois há fortes emoções, principalmente nos momentos de crise.

 

Hoje em dia, com a globalização, o acesso à informação tornou-se muito mais fácil, mas, mesmo assim, muitas pessoas realizam compras de papéis sem o devido preparo e estudo do mercado, ou sequer pesquisam sobre as empresas nas quais estão colocando seu dinheiro.

 

É importante ressaltar que, ao comprar uma ação de uma determinada empresa, você se torna sócio dela, ou seja, é necessário conhecer muito bem a companhia para não investir numa furada. Além disso, é extremamente importante conhecer o mercado de atuação dessa empresa, pois isso facilitará que você faça o correto acompanhamento do sobe e desce das ações.

 

Decidir se tornar um investidor é uma alternativa interessante para planejar e garantir um futuro tranquilo. Não pense que será fácil fazê-lo. É necessária muita dedicação e educação financeira para atingir grandes objetivos, e evitar erros básicos. Definir o seu perfil de investidor é fundamental para que não caia nas armadilhas do mercado e saiba exatamente o que deve fazer para conquistar seus objetivos.

 

Gostou de nossas dicas? Já sabe qual o seu perfil de investidor? Conte-nos nos comentários!

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Como contratar o fornecedor ideal para o seu casamento
Por Equipe Organizze
Tudo sobre PGBL e VGBL: Previdência Privada
Por Equipe Organizze
Tenha um cachorro e ganhe dinheiro com isso
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Aprenda lições financeiras com o ganhador de um prêmio Nobel
Por Renan Lima
Organizze
Experimente o poder de ter suas finanças sempre em ordem

Cadastre-se GRÁTIS no Organizze, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).