Quem são os quase 3 milhões de investidores na Bolsa?

Escrito por: - Publicado em: 15/09/2020

Em julho de 2019, a Bolsa de Valores Brasileira (B3) alcançava o seu primeiro milhão de investidores. Pouco mais de um ano depois, o número praticamente triplicou: agora são quase três milhões de pessoas físicas e jurídicas cadastradas. Para ser mais exato, os dados do mês de agosto mostram que são 2.989.189 de investidores, sendo 2.958.442 CPFs e 30.747 CNPJs.

 

De acordo com a B3, durante a pandemia esse número ganhou ainda mais força. Apenas de março a julho deste ano, em cinco meses, 900 mil pessoas começaram a investir no mercado de ações brasileiro. Em março, no início da pandemia, dos 223 mil investidores que entraram na renda variável, 30% fez o primeiro investimento com menos de R$ 500.

 

Mas quem são esses investidores? Segundo um estudo da própria B3, o perfil da pessoa física que está na bolsa é, de forma geral, mais jovem e que se preocupa em diversificar seus investimentos, começando a montar sua carteira com valores baixos. Além disso, tem demonstrado uma visão de longo prazo ao manter suas posições mesmo no auge da volatilidade dos mercados.

 

A Região Sudeste concentra 61,31% dos investidores do país. São Paulo lidera o ranking com 1.143.283 CPFs, o que representa 38,64%. Logo em seguida estão o Rio de Janeiro com 318.804 (10,77%) e Minas Gerais com 290.323 (9,81%). Esses três estados somam 283,2 bilhões de recursos acumulados.

 

Na comparação por gênero, o masculino representa a maioria. São 2.215.723 (74,12%) homens investindo na bolsa brasileira. Já as mulheres estão cada vez mais buscando seu espaço no mercado de investimentos. Elas somam 742.719 (24,85%) na bolsa.

 

Em termos de faixa etária, 13,20% dos investidores têm menos de 25 anos. Os jovens com idade entre 26 a 35 anos são o maior número, o equivalente a 33,73%. Subsequente, os mais maduros com 36 a 45 anos formam 26,36%. Os com mais de 46 anos correspondem a 26,68%.

 

Conforme a Bolsa de Valores, esse crescimento representa uma mudança estrutural no mercado de capitais brasileiro. A partir de 2019, por exemplo, o valor médio investido pelas pessoas físicas diminuiu. A evolução do comportamento do investidor ao longo do tempo mostra que houve uma democratização.

 

Por Meu Patrimônio – Saráh Stuhr | Assistente de Marketing na Alphamar Investimentos. Graduada em Comunicação Social – Jornalismo pelo Centro Universitário Faesa, com formação em Social Media e Design Gráfico.

Categorias:

Achamos que você vai gostar desses posts, também.

Como avaliar a rentabilidade dos investimentos
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Como investir no mercado de ações
Por Meu Patrimônio
Não coloque todos os ovos na mesma cesta
Por Luiz Roberto Brem de Almeida
Os 3 pilares dos investimentos
Por Meu Patrimônio
Sinta a felicidade de estar no controle de suas finanças

Cadastre-se grátis, e veja sua vida financeira mudar a partir de hoje.

Organizze

Faça como mais de 50 mil organizzados! Receba GRÁTIS em seu email centenas de artigos e dicas para manter suas finanças em ordem (e a newsletter mais legal do Brasil!!).